13 de dezembro de 2011

Pietro detesta leite de vaca


O Pietro mama no peito até hoje (2 anos e 3 meses), e sempre rejeitou qualquer outro tipo de leite.
Levei essa questão para o pediatra, e ele disse que se ele não quiser tomar leite, não tem problema, pois existem outras fontes de cálcio.
Até fiquei preocupada, mas vou complementando com a alimentação bem variada, pois ele come de tudo!
Adora frutas, legumes e verduras!Então aqui vão algumas dicas para crianças que - assim como ele - não gostam de leite de vaca, ou têm problemas com intolerância:


Fonte: Guia Vegano.


4 de dezembro de 2011

Carreira ou maternidade?

Existem mulheres que preferem cuidar da carreira profissional antes de pensar em ter filhos, e não acho errado. Nem certo.
Acho que cada uma tem a liberdade de fazer o que quiser, e a maternidade exije SIM que você tome certas atitudes em nome dos filhos.
Sou uma mãe que não pode deixar de trabalhar (aluguel + marido músico hauhauah), e nem gostaria, pois gosto muito de exercer meu trabalho.
Mas às vezes temos que adiar algumas coisas. Como quando tranquei meu curso na faculdade, durante a gravidez. E quando tive que voltar da licença-maternidade? Quase morri de ter que deixar o Pietro, com 4 meses na casa da minha mãe!
Ultimamente recebi uma proposta que achei ser boa pra nós financeiramente, mas acabei recusando. Por quê?
Porque passaria muitas horas longe do meu filho, e justo numa fase em que ele está desenvolvendo seu caráter e persoalidade.
Tenho meus planos e estou trabalhando para realizá-los, mas não pretendo deixar meu filho de lado pra depois me arrepender do tempo perdido. Quem tem filho sabe que o tempo voa, e quando vemos, eles já estão crescidos.
Peço a Deus que sempre nos oriente na educação do Pepê, dando muito carinho e apoio. E que não nos falte trabalho, também. Nossa tarefa é a de conciliar tudo e manter uma harmonia nas tarefas, e não é fácil, mas também não é impossível.
E o quê é o impossível perante o amor de mãe?

* * *
Sugestão de leitura: matéria da capa Revista Crescer, do mês de Outubro de 2011.










30 de outubro de 2011

Domingo no Parque

Nossa rotina do dia a dia não nos permite fazer sempre coisas prazerosas, como brincar com nosso filho.
Tenho sentido uma falta enorme de momentos como o que tivemos hoje, mesmo com o dia nublado.
Um parquinho simples, no meio do nosso bairro fez com que passássemos uma tarde de domingo muito gostosa. E sabe... Tenho reparado em como meu filho tem crescido rápido...
Fico feliz por ele crescer com saúde, está cada vez mais esperto. Mas também fico triste em saber que a maior parte do tempo não estou com ele.
Será que é um mal comum às mães modernas? Ter que passar horas trabalhando longe do filho?
Por isso que precisamos nos esforçar ao máximo para termos tempo de qualidade com ele, no pouco tempo livre que nos resta.


Gif maker

27 de outubro de 2011

DEZ PASSOS DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA CRIANÇAS DE 2 A 10 ANOS

Encontrei essas informações nas cadernetas do MS para baixar da Internet e gostei muito, pois além de informativas, são úteis para mães de primeira viagem como eu (e mesmo as que se acham mais experientes). Faça o download gratuito da caderneta de saúde da MENINA e/ou caderneta de saúde do MENINO .
Ambas estão disponíveis no site da Biblioteca Virtual em Saúde, do Ministério da Saúde.

DEZ PASSOS DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA CRIANÇAS DE 2 A 10 ANOS


PASSO 1– Oferecer alimentos variados, distribuindo-os em pelo menos três refeições e dois lanches por dia. É importante que a criança coma devagar, porque, assim, mastiga bem os alimentos, aprecia melhor a refeição e satisfaz a fome.

PASSO 2– Incluir diariamente alimentos como cereais (arroz, milho), tubérculos (batatas), raízes (mandioca/macaxeira/aipim), pães e massas, distribuindo esses alimentos nas refeições e lanches da criança ao longo do dia. Dar preferência aos alimentos na sua versão integral e na sua forma mais natural.

PASSO 3– Oferecer legumes e verduras nas duas principais refeições do dia; oferecer também, diariamente, Duas frutas nas sobremesas e lanches. Todos esses alimentos são fontes de vitaminas e minerais que ajudam na prevenção de doenças e melhoram a resistência do organismo. Variando os tipos de frutas, legumes e verduras oferecidos, garante-se um prato colorido e saboroso.

PASSO 4– Oferecer feijão com arroz todos os dias ou, no mínimo, cinco vezes por semana. Logo após a refeição, oferecer ½ copo de suco de fruta natural ou ½ fruta que seja fonte de vitamina C, como limão, laranja, acerola e outras para melhorar o aproveitamento do ferro pelo corpo. Essa combinação ajuda na prevenção da anemia.

PASSO 5– Oferecer leite ou derivados (queijo e iogurte) três vezes ao dia. Esses alimentos são boas fontes de proteínas e cálcio e ajudam na saúde dos ossos, dentes e músculos. Se a criança ainda estiver sendo amamentada, não é necessário oferecer outro leite. Carnes, aves, peixes ou ovos devem fazer parte da refeição principal da criança. Além das carnes, oferecer à criança vísceras e miúdos (fígado, moela), que também são fontes de ferro, pelo menos uma vez por semana.

PASSO 6– Evitar alimentos gordurosos e frituras; preferir alimentos assados, grelhados ou cozidos. Retirar a gordura visível das carnes e a pele das aves antes da preparação para tornar esses alimentos mais saudáveis. Comer muita gordura faz mal à saúde e pode causar obesidade.

PASSO 7– Evitar oferecer refrigerantes e sucos industrializados ou com muito açúcar, balas, bombons, biscoitos doces e recheados, salgadinhos e outras guloseimas no dia a dia. Esses alimentos podem ser consumidos no máximo duas vezes por semana, em pequenas quantidades, para não tirar a fome da criança. Uma alimentação muito rica em açúcar e doces pode aumentar o risco de obesidade e cáries nas crianças.

PASSO 8 – Diminuir a quantidade de sal na comida; não deixar o saleiro na mesa. Evitar temperos prontos, alimentos enlatados, carnes salgadas e embutidos como mortadela, presunto, salsicha, lingüiça e outros, pois esses alimentos contêm muito sal. É importante que a criança se acostume com comidas menos salgadas desde cedo. Sal demais pode aumentar a pressão. Usar temperos como cheiro verde, alho, cebola e ervas frescas e secas ou suco de frutas, como limão, para temperar e valorizar o sabor natural dos alimentos.

PASSO 9 – Estimular a criança a beber no mínimo 4 copos de água durante o dia, de preferência nos intervalos das refeições, para manter a hidratação e a saúde do corpo. Suco natural de fruta também é uma bebida saudável, mas só deve ser oferecido após as principais refeições, para não tirar a fome da criança durante o dia.

PASSO 10 – Incentivar a criança a ser ativa e evitar que ela passe mais do que 2 horas por dia assistindo TV, jogando videogame ou brincando no computador. É importante sair para caminhar com ela, levá-la para andar de bicicleta, passear com o cachorro, jogar bola, pular corda, ou seja, fazer algum tipo de atividade física. Criança ativa é criança saudável.

(BRASIL, Ministério da Saúde)

21 de outubro de 2011

Quando é a hora certa de começar a escovar os dentes?

Não é verdade que bebês não precisam higienizar a gengiva, ou até mesmo escovar os primeiros dentinhos. Esse hábito precisa começar cedo!
Tenho escovado os dentinhos do Pietro desde antes dele completar um ano.
Para isso, usava um massageador de gengiva com água do filtro.
 
"Os dentes de leite são sim importantes e merecem todo o cuidado. São eles que guiam o nascimento dos dentes permanentes, que abrem os espaços para a dentição posterior e são essenciais para uma boa mastigação e para a fala."
Leia mais em  Higiene bucal mesmo sem os dentinhos

Depois compramos uma escova de dentes própria para crianças maiores de 1 ano, e uma pasta de dentes sem flúor com gostinho de morango.
Conversando com uma dentista, ela me disse que posso levá-lo para a primeira consulta aos 3 aninhos, e que não tem problema ele engolir a pasta sem flúor, pois não faz mal.
Então, coloco a pasta na escova dele e falo pra ele esfregar nos dentinhos até fazer espuma. Assim ele vai aprendendo a escovar os dentes mesmo que engula um pouco da pasta.
Pietro escovando os dentinhos
Cuidados pra não repetir certos "históricos" de cáries na família, e que a gente sabe muito bem que dói PRA CARAMBA!!!

((((Atualização))))

Associação Americana de Pediatria aprova uso de creme dental com flúor desde o primeiro dente do bebê (revista Crescer)


Nas prateleiras de supermercados ou farmácias, naquele corredor específico de produtos para bebês, a maior parte das embalagens dos cremes dentais indicados para a faixa etária que vai de 0 a 3 anos, destaca: "Sem flúor" ou "Não contém flúor". Há pais de filhos pequenos que têm receio de aplicar nos dentes das crianças as versões com a substância. No entanto, de acordo com uma nova recomendação da Academia Americana de Pediatria, um dos órgãos mais influentes do mundo quando se trata de saúde infantil, os primeiros dentes dos bebês devem, sim, ser higienizados com cremes que contêm esse elemento na fórmula.

Apesar de esta ser a recomendação oficial do órgão brasileiro de odontopediatria desde 2009, somente agora a Associação Americana de Pediatria se manifestou a favor do uso. A Sociedade Brasileira de Pediatria concorda com a orientação. "Alinhado com as recomendações da Academia Americana de Pediatria, o Departamento de Pediatria Ambulatorial da SBP recomenda que crianças a partir do primeiro dente usem uma escova macia e uma quantidade de pasta que equivale a um grão de arroz", diz Tadeu Fernando Fernandes, pediatra e presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial da SBP.

Havia o temor de que o creme dental engolido pelos bebês levasse à fluorose, que provoca manchas brancas nos dentes permanentes, antes mesmo de sua formação. A preocupação era ainda maior, considerando-se que a água corrente que sai de nossas torneiras também já vem com uma certa quantidade de flúor. "Existe uma interpretação errada quando se fala que o creme dental causa fluorose. Na verdade, ela é ocasionada pelo excesso de flúor ingerido pela criança, sem o controle dos pais. A pasta deve ser usada, mas na quantidade certa recomendada pelo odontopediatra e sob supervisão de um adulto", diz Luciana Nogueira da Cunha Rosa, professora da pós-graduação em Odontopediatria do Senac Tiradentes. Por isso, os pais devem ficar atentos à concentração de flúor no creme dental escolhido (saiba mais abaixo, em “Como escolher a pasta”), à quantidade aplicada na escova ou na dedeira e se responsabilizar pela escovação dos filhos, principalmente dos menores", afirma Paulo César Rédua, presidente da ABO (Associação Brasileira de Odontopediatria).

Para evitar qualquer tipo de problema com a escolha da pasta, e do momento certo para iniciar o uso da escova e do creme dental para fazer a higiene bucal, é fundamental que os pais levem os filhos ao odontopediatra assim que nasce o primeiro dente. "As orientações variam de acordo com a rotina [alimentar] e com as características de cada criança. Um bebê que já tem cinco dentes, mas não tem contato com o açúcar, pode demandar uma frequência e uma maneira de escovação diferente de outro, com apenas um e que come biscoitos diariamente", exemplifica Rédua. Depois, na maior parte dos casos, as visitas ao consultório podem continuar acontecendo a cada seis meses.


Como escolher a pasta?
Então, os bebês podem usar pastas de dente comuns desde o início da dentição, mas, de volta às prateleiras do supermercado, qual produto escolher, diante de tantas opções? "Os pais devem ler o rótulo e procurar por produtos que tenham uma concentração de flúor entre 1100 e 1450 ppm (partes por milhão). Nos cremes dentais infantis, o que muda é o sabor, geralmente mais atraente para esse público, mas a eficiência é a mesma", explica o presidente da ABO. "Se tiver concentração inferior a 500 ppm, não protege das cáries", afirma. Enquanto a criança ainda não tem os dentes molares (os do fundo, que contêm mais sulcos e fissuras, locais de difícil alcance da escova e, portanto, favoráveis para o acúmulo de bactérias), a limpeza pode ser feita com uma dedeira ou gaze. Depois disso, o uso da escova de dentes torna-se obrigatório. Para escolher, basta seguir a indicação de idade especificada na embalagem.

Quantas vezes e quanta pasta colocar?
Em geral, o ideal é escovar pelo menos de manhã e à noite para os menores de 2 anos. Mesmo que você não consiga supervisionar as outras limpezas do dia, garanta que a última, antes do seu filho ir para a cama, seja bem feita, de preferência por você. Comer somente nos horários certos também ajuda na prevenção da cárie. "Se a criança se alimentar várias vezes ao dia, fora dos horários das refeições e dos lanches, os dentes ficam mais expostos à sujeira", explica Rédua. Uma das funções da saliva é limpar restos alimentares e micro-organismos que favorecem a infecção por cáries. Comer a toda hora, principalmente alimentos que contenham açúcar, sobrecarrega esse mecanismo, que acaba não dando conta do recado. Sem contar, é claro, os outros problemas associados a esse comportamento, como a obesidade.

Os pais também devem ficar atentos à quantidade de pasta usada em cada escovação. Isso também pode ser alterado de acordo com a orientação profissional. A princípio, a recomendação para as crianças de até 2 anos é uma quantidade que equivale ao tamanho de um grão de arroz cru. Depois disso, os pais podem aumentar gradativamente, até o tamanho de um grão de ervilha para os maiores. "Se os pais usarem essa quantidade, não ultrapassam 30% da margem de segurança de deglutição de flúor, ou seja, ainda que a criança engula o creme dental, ela não correrá riscos de ter nenhum problema por conta disso", explica o presidente da ABO.

16 de outubro de 2011

Tabela de Composição do Leite Materno

Tabela de Sono dos Bebês (Healthy Sleep Habits, Happy Child)

Tradução: Andreia Mortensen
Site do Grupo Soluções para Noites sem Choro (Multiply)
Notas do livro “Healthy Sleep Habits, Happy Child”, de Mark Weissbluth, MD

Observe que essa tabela orienta quanto à rotina de sono da criança, podendo variar bastante. O Pietro, mesmo, nunca seguiu essa rotina de horários, só agora com dois anos que está tendo uma rotina parecida com a descrita pra idade dele.

Recém-nascido: 1 Semana
- Bebê dorme bastante, 15-18 horas/dia
- Geralmente em intervalos de 2-4 horas
- Não há padrão de sono

2 a 4 semanas
- Sem tabela de horários, permita que o bebê durma quando precisa
- Bebê provavelmente não dormirá por periodos longos à noite
- O maior período pode ser de 3-4 horas

5 a 8 semanas
- Bebê está mais interessado em brinquedos e objetos
- O maior período de sono começa a aparecer regularmente nas primeiras horas da noite
- O período mais longo é de 4-6 horas (menos se tem cólicas)
- O bebê "fácil" tem períodos mais regulares
- Ponha-o para dormir aos primeiros sinais de cansaço
- Ponha-o pra dormir: não mais que 2 horas acordado
- Após acordar pela manhã já está pronto para soneca somente 1 hora depois
- O bebê vai se distrair mais facilmente, então precisa de um lugar quieto pra dormir
- Crie uma rotina de atividades que acontecem antes de cada soneca e da hora de dormir à noite
- Sinais de extrema fadiga: irritável, puxa o próprio cabelo, bate na própria orelha

3 a 4 meses
- A necessidade é maior de um lugar calmo e quieto para dormir, pois o bebê se distrai mais facilmente
- Não deixar o bebê acordado por mais de 2 horas (alguns agüentam somente 1 hora)
- 6 semanas de vida é quando o período de sono mais longo deve ser preferencialmente à noite (não de dia)
- O maior período de sono é somente de 4-6 horas
- Comece a colocar o bebê para dormir antes dele começar a ficar irritado ou sonolento

4 a 8 meses
- O sono do bebê se torna mais como o do adulto, com período inicial de não-REM
- A maoria acorda entre 7 da manhã, mas geralmente entre 6-8.
- Se o bebê acordar antes das 6 é bom colocar para dormir após mamar e trocar a fralda
- Não é possível mudar a hora que o bebê acorda de manhã colocando-o para dormir mais tarde
- Comidas sólidas antes de dormir tambem não resultam em acordar mais tarde
- O período acordado de manhã deve ser de cerca de 2 horas para bebê de 4 meses e 3 horas para bebês de 8 meses
- Então a soneca da manhã é por volta das 9 horas para a maioria
- Tenha um período tranqüilo e quieto, parte da rotina de dormir, com duração máxima de 30 minutos. Essa rotina deve começar 30 minutos ANTES do fim do período que o bebê fica acordado
- Um soneca só é restauradora se é de 1 hora ou mais, algumas vezes 40-45 minutos conta, mas 1 hora ou mais é o ideal
- Conte com outra soneca após 2-3 horas acordado
- Evite mini-sonecas no carro ou parque
- Não deixe o bebê tirar uma sonequinha para compensar uma soneca perdida
- Se o bebê tira a soneca quando deveria estar acordado, bagunça a rotina acordado/dormindo
- A Segunda soneca é geralmente entre meio-dia e 2 da tarde (antes das 3)
- Deve durar 1-2 horas
- Uma terceira soneca poderá ou não ocorrer, se ocorrer será entre 3-5 da tarde e geralmente bem rápida
- A terceira soneca desaparece por volta dos 9 meses de idade
- A hora de dormir ideal é entre 6-8 da noite, decida pelo quanto a criança está cansada
- Empregue uma rotina antes da cama com a mesma seqüência de eventos toda noite, assim a criança começará a predizer o que vem a seguir, ou seja, o sono
- A criança poderá acordar de 4-6 horas depois para mamar, algumas estarão com fome mas outras vão dormir direto, depende do indivíduo
- Uma Segunda mamada podera’ ocorrer por volta de 4-5 da madrugada,

9 a 12 meses
- A maioria dos bebês dessa idade realmente precisam de 2 sonecas/dia com duração total de 3 horas de sono
- Por o bebê pra dormir à noite mais cedo permitirá que ele durma até mais tarde de manhã (em alguns casos não )
- Rotina usual: acorda às 6-7 da manha, soneca da manhã 9:00, soneca da tarde 1:00 (antes das 3 pra não atrapalhar com o sono da noite), dormir à noite entre 6-8 pm
- Se o bebê que dormia à noite toda começar a acordar, tente antecipar a hora de dormir gradualmente de 20-20 minutos.

12 a 21 meses (1 ano a 1 ano e 9 meses)
- Muda de 2 sonecas para 1 soneca/dia, total duração de sono 2 horas e meia
- Se a mudança para 1 soneca é difícil, tente por na cama mais cedo, a criança poderá tirar 2 sonecas num dia e 1 no outro até estabilizar

21 a 36 meses (1 e 9 meses a 3 anos)
- Maioria das crianças ainda precisam de uma soneca
- Em média a soneca é de 2 horas mas pode ser entre 1-3 horas
- Maioria das crianças dormem entre 7-9 da noite, acordam entre 6:30-8 da manhã
- Se a soneca não aconteceu, é preciso por na cama mais cedo ainda
- Se a criança não dorme bem durante a noite, não permitir que a criança tire a soneca pode ser problemático, causar extrema fadiga
- Se a criança acorda entre 5-6 da manhã, e está bem descansada, pode-se tentar encorajar mais sono com cortinas escuras
- Ir pra cama mais cedo pode resultar em acordar mais tarde de manhã (sono traz mais sono, na maioria dos casos)

3 a 6 anos
- A maioria ainda vai dormir entre 7-9 da noite, acorda entre 6:30 e 8 da manhã
- Aos 3 anos a maioria das crianças precisam de 1 soneca todos os dias
- Aos 4 anos, cerca de 50% das crianças tiram soneca 5 dias/semana
- Aos 5 anos de idade, cerca de 25% das crianças tiram soneca 4 dias/semana
- Aos 6 anos de idade as sonecas geralmente desaparecem
- Aos 3 e 4 anos a soneca dura 1-3 horas
- Aos 5 e 6 anos a soneca dura entre 1-2 horas

7 a 12 anos
- A maioria das crianças de 12 anos vão dormir entre 7:30 e 10 da noite, na média 9 da noite. A maioria dorme 9-12 horas/noite.
- Muitas crianças de 14-16 anos agora precisam de mais sono que quando eram pré-adolescentes para manter a atividade ótima e serem alertas durante o dia.

Tabela: Quanto tempo meu filho precisa dormir?

Veja abaixo regras básicas para a quantidade de sono média para crianças dependendo da idade. Lembre-se de que cada criança é diferente -- há algumas que precisam dormir mais que as outras. A variação de uma criança para outra pode ser bem diferente, dependendo da personalidade e do organismo de cada uma.
Cuidado para não se confundir. Se seu filho se recusa a ir para a cama antes das 23h, não quer dizer que ele não precise de tanto sono. Pense nas seguintes perguntas, para saber se ele está dormindo o suficiente:

•Seu filho sempre dorme quando anda de carro?
•Você precisa acordar seu filho quase todo dia de manhã?
•Ele fica irritado, nervoso e manhoso durante o dia?
•Certas noites, seu filho "desmaia" muito mais cedo que o horário normal?
Se você respondeu "sim" a qualquer uma das perguntas, é possível que seu filho esteja dormindo menos do que precisa.

Fonte: Brasil Babycenter

2 anos e ainda mama - rotina diária & os benefícios da Amamentação Prolongada.

O Pietro está com 2 anos e quase 2 meses, com energia total. Medimos ele hoje, em casa e está em torno de 93cm. Ainda não sei o peso exato, mas acredito que esteja com uns 13kg.
Fala, brinca e come bem, além de inventar umas histórias do arco da velha rs.
Acorda tarde, por volta das 9h30 da manhã, mas isso porque devido nossa rotina, vamos dormir tarde também.
Ele acorda, come umas bolachinhas, frutas e suco. Tomamos banho e almoçamos meio-dia. Depois ele fica com minha mãe.
Lá ele come um lanchinho, suco e brinca a tarde toda com a vovó. De vez em quando faz uma soneca de aproximadamente 2h.
Meu marido o busca e traz pra casa, então ele fica um pouco com o papai.
Eles vão me buscar, e jantamos por volta das 21h30.
Vamos dormir perto das 23h ou mais. Se o Pepê não faz soneca na vovó, então pega no sono mais rápido depois da janta. Senão... Fica aprontando todas até cair de sono.
Já não mama mais de madrugada, e isso começou depois de ficar dois dias sem mamar nada!
Achei que ele tivesse desmamado, que meu leite fosse secar, etc. Mas que nada!
Pelo menos uma vez por dia ele dá uma mamadinha, e pra dormir também. Mas como é bom dormir a noite toda!!!
Posso colocar aqui as vantagens da amamentação prolongada, mas já tem bastante informação na internet, inclusive sendo recomendação da Organização Mundial de Saúde :)

9 benefícios da amamentação prolongada

1.Nutrição
De acordo com informações do Unicef, no segundo ano de vida, 500 ml de leite materno fornecem 95% das necessidades de vitamina C, 45% das de vitamina A, 38% de proteína e 31% do total de energia que uma criança precisa diariamente. E, mesmo depois dos 2 anos, o leite materno ainda é uma importante fonte de nutrientes.

2.Saúde
O caráter imunológico da amamentação continua a valer. “O leite materno previne a criança de doenças como infecções gastrointestinais, respiratórias e urinárias, principalmente”, explica a pediatra Silvia Gioielli. Além disso, quando as crianças ficam doentinhas e não querem comer nada, o leite materno oferece nutrição e conforto para que se recuperem mais rapidamente.

3.Segurança
Você pode até ouvir por aí que crianças que mamam após os 2 anos ficam mais dependentes da mãe, mas saiba que isso não é verdade. Uma criança que tem o aconchego da mamada sempre que precisa torna-se mais segura e confiante para desbravar o mundo. “As crianças que conquistam a sua independência em seu próprio ritmo, são mais seguras que as crianças forçadas a isso prematuramente”, tranquiliza a pediatra.

4.Desenvolvimento dos músculos da face
“Mamar no peito é um ótimo exercício da musculatura da face e da boca, o que estimula favoravelmente as funções da respiração e deglutição”, afirma Silvia. Isso não acontece com o uso da mamadeira, pois é justamente o movimento que o bebê faz para ordenhar a mama que favorece o desenvolvimento harmonioso da face e da dentição.

5.Menos chances de alergias
A proteína das fórmulas infantis é derivada do leite de vaca e tem grande potencial de causar alergias. A soja também entra para a lista de alimentos com grande potencial alergênico. Portanto, quanto mais tarde seu filho tiver contato com eles, melhor.

6.Inteligência
Pesquisadores da Escola de Medicina de Christchurch, na Nova Zelândia, conduziram um estudo que mostrou que crianças amamentadas por mais tempo têm melhores resultados na escola. David M. Ferguson e L. Jonh Horwood, autores da pesquisa, defendem a ideia de que as gorduras insaturadas encontradas no leite humano são importantes para o crescimento do cérebro e do sistema nervoso.

7.Vínculo
A amamentação constitui um importante processo de vínculo entre mãe e criança. No caso da amamentação prolongada, esse processo continua a crescer e a criar bases sólidas e importantes para o desenvolvimento do seu filho.

8.Mãe saudável
A amamentação reduz os riscos de câncer de mama (proporcional ao tempo que amamenta), reduz a incidência de osteoporose e diminui riscos de câncer de útero e de ovário.

9.Economia
As vantagens da amamentação prolongada também chegam ao seu bolso, já que você não precisará gastar dinheiro com as fórmulas infantis.
Leia mais AQUI.

11 de outubro de 2011

Filme As Mães de Chico Xavier


Assistimos esse filme aqui em casa, meu marido e eu, enquanto o Pepê dormia e nos emocionamos bastante.
O filme fala sobre o maior medo que assombra mães de qualquer lugar do mundo: a perda de um filho.
Ninguém está preparado para uma coisa dessas, mesmo porque em nossa cabeça isso foge da ordem cronológica dos acontecimentos. Nem eu sei como reagiria a um baque desses, e nem gosto de pensar. Mas o Espiritismo dá esse consolo, o entendimento de por quê coisas assim acontecem (e não através da figura de um Deus sádico que pune ou faz as coisas simplesmeste pela vontade dele).
Não vou forçar meu filho a acreditar ou seguir tal religião (justamente por isso que não o batizamos na igreja católica), pelo contrário. Acredito que seja importante pra formação do caráter dele,como ser humano, crescer acreditando que devemos fazer o bem às pessoas, ser honesto, ter bom caráter, independente de religião.
Já conheci algumas religiões (cresci em base católica), estudei um pouco de tudo. Acho importante termos a mente aberta para informações úteis, sem nos prender a fanatismos ou à ignorância. Acho que tudo faz parte da nossa evolução interior, e é isso que estamos buscando, sempre.
Mais informações sobre o filme e bastidores: http://asmaesdechico.blogspot.com/

11 de setembro de 2011

A nova geração - As Crianças Índigo

Apesar de ser uma teoria "não-comprovada" por pediatras, científicamente, acredito que as pessoas têm comprovado com os próprios olhos que uma geração diferente está nascendo neste mundo. E não se trata só de evolução do mundo moderno. Certos traços e atitudes são evidentes na nova geração de crianças que estão nascendo. Retirei algumas informações bem interessantes de alguns sites que citarei ao final do post, dedicado especialmente aos novos pais e mães que, ao observarem seus filhos, notam características das chamadas "crianças índigo".
Leia e tire suas próprias conclusões ;)

O quê é uma Criança Índigo?


Uma Criança Índigo é aquela que apresenta um novo e incomum conjunto de atributos psicológicos e mostra um padrão de comportamento geralmente não documentado ainda. Este padrão tem fatores comuns e únicos que sugerem que aqueles que interagem com elas (pais em particular) mudam seu tratamento e orientação com objetivo de obter o equilíbrio. Ignorar esses novos padrões é potencialmente criar desequilíbrio e frustração na mente desta preciosa nova vida.
Essas crianças, segundo a teoria, teriam habilidades sociais mais refinadas, maior sensibilidade, desenvolvimento profundo de questões ético-morais e portariam personalidades peculiares que possibilitariam facilmente sua identificação em meio a outra crianças.


De onde vem essa denominação?
Em 1982 a parapsicóloga Nancy Ann Tappe elaborou um sistema para classificar os seres humanos de acordo com a suposta cor da sua aura espiritual, lançando a obra "Compreenda a sua Vida através da Cor" onde fez um estudo sobre "as cores da vida". Segundo a autora, cada pessoa possui uma certa cor na sua aura em função da sua personalidade e interesses.

No caso das crianças índigo, a aura deles tende a mostrar as cores anil ou azul, as quais reflectem uma espiritualidade mais desenvolvida.
A autora afirmou ter detectado pelo seu método que as auras de cor índigo começaram a surgir com mais frequência na década de 1980, mostrando uma tendência a proliferar, o que parece justificar o seu papel de transformação da sociedade nas primeiras décadas do século XXI.

Tipos de Crianças Índigo



Existem quatro tipos diferentes de Índigos e cada um tem uma proposta:

1. Humanista: Primeiro, existe o Índigo Humanista que vai trabalhar com as massas. Eles serão os futuros doutores, advogados, professores, vendedores, executivos e políticos. Vão servir as massas e são hiperativos. São extremamente sociais. Conversam com todo mundo e fazem amizade facilmente. São desastrados do ponto de vista motor e hiperativo, como dito anteriormente, e de vez em quando, eles vão dar com a cara nos muros, pois esquecem de pisar no freio. Eles não sabem brincar com apenas um brinquedo. Ao invés disso, trazem todos para fora e os espalham. Às vezes, não tocam na maioria destes. São do tipo que têm que ser permanentemente lembrados pois freqüentemente se esquecem das ordens simples e se distraem. Por exemplo, você pede para eles arrumarem o quarto. Eles começam a arrumar e de repente encontram um livro e começam a ler porque são leitores ferozes. Certa vez, eu estava em um vôo onde estava uma criança de cerca de 3 anos que estava aprontando. Sua mãe deu-lhe o panfleto de segurança do avião e ele o abriu todo com todas as figuras. Ele permaneceu sentado, muito sério como se estivesse lendo, muito sério e intenso na concentração. Ele estudou o folheto por uns cinco minutos e eu sabia que ele não poderia ler mas ele pensava que ele estava. Este é o típico Índigo Humanista.

2. Conceitual: Os Índigos Conceituais estão mais para projetos do que para pessoas. Serão os futuros engenheiros, arquitetos, projetistas, astronautas, pilotos e oficiais militares. Eles não são desajeitados, ao contrário, são bem atléticos como crianças. Eles têm um ar de controle e a pessoa que eles tentam controlar na maioria das vezes é a mãe se são meninos. As meninas tentam controlar os pais. Se eles são impedidos de fazer isso, existe um grande problema. Este tipo de Índigo tem tendência para outras inclinações, especialmente as drogas na puberdade. Os pais precisam observar bem o padrão de comportamento dessas crianças quando elas começarem a esconder ou a dizer coisas tais como, "Não chegue perto do meu quarto": é exatamente quando os pais precisam se aproximar mais.

3. Artista: Este tipo de Índigo é muito mais sensível e freqüentemente menor em tamanho, embora isso não seja uma regra geral. Eles são mais fortemente ligados às artes. Eles são criativos e serão os futuros professores e artistas. Em qualquer campo que eles se dediquem será sempre pelo lado criativo. Se eles entrarem na medicina, eles se tornarão cirurgiões ou pesquisadores. Quando eles entrarem nas artes, eles serão o ator dos atores. Entre 4 a 10 anos eles podem pegar até 15 diferentes artes criativas - fazer uma por cinco minutos e encostar. Portanto, se diz às mães de artistas e músicos, "Não compre instrumentos, mas alugue". O Índigo Artista pode trabalhar com até 5 instrumentos diferentes e então, quando eles entrarem na puberdade, escolherão um campo e se empenharão para se tornarem artistas nessa especialização.

4. Interdimensional: O Índigo Interdimensional é muito maior do que os demais Índigos, do ponto de vista de estatura. Entre 1 e 2 anos de idade você não pode dizer nada para eles. Eles dizem: "Eu já sei. Eu posso fazer isso. Deixe-me sozinho". Eles serão os que trarão novas filosofias e espiritualidade para o mundo. Podem ser mais valentões porque são muito maiores e também porque não se encaixam no padrão dos outros três tipos.

Características para ajudar a identificar se sua criança é um Índigo:


• Tem alta sensibilidade
• Tem excessivo montante de energia
• Distrai-se facilmente ou tem baixo poder de concentração
• Requer emocionalmente estabilidade e segurança de adultos em volta dela
• Resiste à autoridade se não for democraticamente orientada
• Possui maneiras preferenciais no aprendizado, particularmente na leitura e matemática
• Podem se tornar frustrados facilmente porque têm grandes idéias, mas uma falta de recursos ou pessoas para assistirem pode comprometer o objetivo final
• Aprendem através do nível de explicação, resistindo à memorização mecânica ou serem simplesmente ouvintes.
• Não conseguem ficar quietas ou sentadas, a menos que estejam envolvidas em alguma coisa do seu interesse
• São muito compassivas; têm muitos medos tais como a morte e a perda dos amados
• Se elas experimentarem muito cedo decepção ou falha, podem desistir e desenvolver um bloqueio permanente.


Acredito que a forma mais simples de constatar se uma criança é Índigo ou não, é a convivência. Porém, aqueles que têm uma sensibilidade um pouco mais refinada conseguem notar com mais facilidade.



2 de setembro de 2011

01/09 - Dois aninhos!!!

Dois anos se passaram tão rápido, e tanta coisa aconteceu, que a gente até se assusta!
O Pietro já fala bastante, canta, pula, roda até ficar tonto (e acha graça rsrs)...
Adora pintar, faz várias bolinhas coloridas.
Repete tudo que a gente fala, inclusive besteiras. E nisso tem que tomar cuidado! rsrs.


Meu filho veio pra compensar todas as tristezas que eu já tive, todas as decepções. Tanto que eu nem ligo mais, já esqueci quem me fez sofrer, me tratou mal ou qualquer coisa assim.
Minha única preocupação é fazê-lo crescer com saúde e bom caráter. E por ele, dou minha vida sem pensar duas vezes.

Essa foi uma pequena declaração de amor de uma jovem mamãe, ao seu filhote que acabou de completar mais um ano de vida.
No domingo faremos um bolinho para cantar os "Parabéns", mas como a grana é curta, só convidamos algumas pessoas da família. Acredito que o mais importante mesmo é o carinho que ele recebe das pessoas com quem ele convive no dia a dia, dos familiares e das pessoas que o querem bem. E não o tamanho da festa, número de convidados, etc.
Enfim, eu amo a vida por isso. Porque nenhum dia é idêntico ao outro, e cada despertar traz uma nova descoberta.


Happy birthday Pepê!!!




2 de junho de 2011

Aproveitar a vida e ter uma família

Resolvi escrever aqui sobre isso, porque de vez em quando ouço coisas como: "Preciso aproveitar bem a vida antes de casar, ou ter um filho..."
Acho que a definição de "aproveitar" a vida varia muito de pessoa pra pessoa. Já ouvi gente falando: "Aproveite bem a vida, saia, divirta-se, porque depois que você casar e ter filho.. Iiihhh..."
Acho interessante esse tipo de coisa, porque se você parar para analisar, quem geralmente fala isso tem grandes frustrações sobre o que poderia ter feito no passado e já não pode mais, como se fosse morrer amanhã mesmo.
Do meu ponto de vista, a vida tem fases. Cada uma com características diferentes, mas todas fazem parte do nosso processo de evolução.
Dá pra se aproveitar cada fase da vida, de maneiras diferentes e não menos divertidas. Mas elas são fases... Estranho é quem quer viver uma única fase pro resto da vida.
Um exemplo: se você tem filho pequeno, não pode ficar saindo pra baladas e festas, porque tem que cuidar dele. Mas por outro lado, é imensamente divertido, por exemplo, vê-lo cantarolar uma músiquinha que ele acabou de ver na TV ou fazendo uma gracinha. E esse é só um exemplo bobinho, comparando com a infinidade de coisas novas que vão surgindo.
Depois que você casar e tiver filhos, você não pára de viver. É aí que você vai vivenciar o que há de mais importante no processo de evolução do ser humano. E não estou falando de procriação, porque isso até os animaizinhos fazem. Estou falando de EDUCAR um ser humano para o mundo. Moldar uma vida.
Vejo pessoas que se reergueram na vida através do apoio da família, porque sem essa base não somos nada.
O quê significa aproveitar a vida pra você?
Pra mim, isso significa VIVER e procurar ser feliz em todas as fases. É isso que me faz gostar da vida, sabe?
Detesto a mesmice. Adoro ser metamorfose ambulante. Já tive várias "facetas" nessa vida, mas não voltaria no tempo pra repetir nenhuma delas, quero ir para frente! Quero ser uma vovó descolada ;)

17 de maio de 2011

Fim das mamadas noturnas... Será??

Em casa dormimos em cama compartilhada, com uma cama de solteiro encostada na nossa de casal.
E é muito bom, mas além disso o Pietro ainda mama muuuito de madrugada. Pensando em diminuir essas mamadas até chegar ao ponto de zerá-las, procurei informações para que a coisa fosse mais tranquila possível, então li o Plano do Dr. Jay Gordon e resolvi tentar. Lembrando que meu filho já tem mais de 1 ano.
Essa foi a 1ª noite, mas não fui bem sucedida... Na primeira vez que ele acordou, eu não dei mamá.
Ele chorou um pouco, resmungou mas acabou deitando do meu lado, bem coladinho em mim e adormeceu.
Na segunda vez, o choro foi mais intenso então não resisti e dei o peito. Daí pra frente descambou tudo e eu o amamentei todas as vezes que ele acordou rsrs...
Vou tentando aos poucos e relatando aqui.
A intenção disso é diminuir as mamadas pois já estou ficando cansada de acordar tantas vezes de noite, e o Pietro já é um "mocinho" de 1ano e 8 meses. Vamos ver se dá certo!

Campanha de vacinação contra gripe termina nesta sexta

Levamos o Pietro na segunda-feira, dia 9/05 para tomar a vacina contra a gripe, que neste ano está aberta para gestantes e crianças de 6 meses a 2 anos.
Sempre ficamos chateados pois as vacinas são aplicadas na perna, hoje em dia. Diferente de antigamente, que eram aplicadas no bumbum. Eu acredito que deve doer mais.
Mas enfim, o Pietro chora sempre um pouco quando leva a espetada da agulha, mas depois esquece.


Nessa foto estávamos esperando no posto de vacinação e o Pietro fez amizade com a Amanda, uma mocinha linda da idade dele, que também ia ser vacinada.
A vacina não deu reação nenhuma, e ele tem que voltar lá no dia 9/6 para tomar a segunda dose.
Mais informações sobre a campanha: Globo.com

29 de março de 2011

A hora de ir para a creche

Apesar de o Pietro ficar com a minha mãe, e eu me sentir bem mais tranquila com esse fato, está chegando a hora de colocá-lo numa escolinha para conviver com outras crianças.
Acredito que será muito importante pro desenvolvimento dele, em todos os aspectos.
Porém como pais de primeira viagem ficamos naquela indecisão na hora de escolher o lugar certo para o nosso maior tesouro passar horas sem nossa presença.
Pesquisei algumas escolas particulares através de indicações, mas daí me lembrei da escola municipal em que fiz o prézinho, aos 6 anos. Só não sabia se lá teria creche também para a idade do Pietro.
Fomos lá, nós três, na EMEI que fica perto de casa e de que tenho várias recordações de infância...
O Pietro adorou ver tanta criança, sorriu pra todas.
A escola é limpinha, vimos as crianças almoçando um cardápio com legumes e frutas... Claro que tem várias crianças nas turmas mas também tem monitoras.
Enfim, fiz a inscrição do Pietro para a lista de espera e o número dele é 89... A lista tá no número 32. Enquanto isso ele vai ficando com a vovó :)
Tive uma boa impressão da escola, que apesar de ser pública municipal, me pareceu bem organizada. Me sinto mais segura em deixar meu filho lá do que em escolas particulares que só pensam no dinheiro. É lógico que não dá pra generalizar, mas a estrutura me pareceu bem melhor. Conforme as coisas forem acontecendo, eu vou contando aqui. Agora é só esperar.

15 de março de 2011

6 razões para esperar 6 meses para introduzir alimentos

Texto traduzido e retirado da comunidade Grupo Virtual de Amamentação, no Orkut.
Já eram os dias que mães sofriam pressões para entupir os bebês de cereal a 6 semanas de vida. Hoje em dia pais alimentam seus filhos quando é nutricionalmente e desenvolvimentalmente correto- como determinado pelos bebês.
Não se apresse para começar as papinhas. Aqui algumas razões para esperar:

1. O Intestino do bebê precisa estar desenvolvido
Os intestinos são a parte do corpo que filtra, peneirando as substancias potencialmente perigosas e permitindo os nutrientes saudaveis.
Nos primeiros meses esse sistema de filtração é imaturo.
Entre 4-6 meses o revestimento interno do intestino do bebe passa por um processo de desenvolvimento chamado fechamento, onde o revestimento se torna mais seletivo sobre o que pode ou não passar.
Para prevenir que comidas potencialmente alergênicas entrem na corrente sanguinea, os intestinos maturando secretam IgA , uma proteina imunoglobulina que age como uma proteção, recobrindo os intestinos e prevenindo a passagem de alérgenos perigosos.
Nos primeiros meses, a produção de IgA é baixa (embora haja muito IgA no leite humano), e é mais facil assim para que potenciais alérgenos entrem no organismo do bebê.
Uma vez que moleculas de comidas entram no sangue, o sistema immune pode produzir anticorpos contra aquela comida, produzindo uma alergia ao alimento. Por volta de 6-7 meses de idade, os intestinos do bebê estão maduros e capazes de filtrar os alergenos mais ofensivos.
Por isso que é tão importante esperar a introdução de alimentos sólidos particularmente se existe uma historia de alergia alimentar na familia do bebe, o que demonstra uma tendencia do bebe a desenvolver alergias tambem, e prestar muita atenção quando oferecer os alimentos aos quais outros membros da familia sao alérgicos.

2. Bebês jovens têm reflexo de propulsão da lingua
Nos primeiros 4 meses a lingua tem um reflexo de propulsão para proteger os bebes contra engasgo.
Quando qualquer substancia incomum é colocada na lingua, automaticamente empurra para fora e não para dentro. Entre 4-6 meses de idade esse reflexo diminue gradualmente, dando ao primeiro cereal ou fruta uma chance de entrar no estomago e nao ser rejeitado pelo reflexo da lingua.
Não somente essa parte inicial do trato digestivo (lingua, boca) não esta pronta para sólidos, como tambem a parte final (estômago e intestinos) tambem não estão “prontos”.

3. O mecanismo de engolir do bebê é imaturo.
Outra razão para não ter pressa na introdução de alimentos solidos é que a lingua e o mecanismo de engulir podem nao estar prontos para funcionarem juntos.
Dê uma colher de papinha a um bebê com menos de 4 meses, e ele vai mover essa comida ao acaso em sua boca, empurrando um pouco da papinha de volta a faringe onde é engolida, um pouco vai para espaços grandes entre as bochechas e gengivas, um pouco vai pra frente entre labios e fora para o queixo.
Ou seja, o bebê não tem um bom controle da mastigação e direção para engulir, o que vai ser desenvolvido entre 4-5 meses de idade.
Nessa fase o bebê desenvolve a habilidade de mover a comida do começo da boca para o fundo ao inves de deixar a comida flutuar em todo lugar e cuspir boa parte disso. Antes dos 4 meses de idade, o mecanismo de engulir do bebe é feito para trabalhar com sugar, mas não mastigar. 30/10/06 Andréia

4.Bebês precisam ser capazes de sentar.
Nos primeiros meses, os bebes associam comida com carinho. Se alimentar é uma interação intima, e bebes frequentemente associam o ritual de comer com pegar no sono nos braços ou no peito da mãe.
A mudança de um peito suave e morno para uma colher fria, dura, geralmente não é bem vinda com uma boca aberta.
Dar papinhas ao bebe é uma maneira mais mecanica e menos intima de “entregar” comida. Requere que o bebe sente num cadeirão de comer, uma habilidade que a maioria dos bebes desenvolvem por volta de 5-7 meses. Segurar um bebe na posição tradicional de mamar nao é a melhor maneira de introduzir papinhas, porque seu bebe vai achar que vai ser amamentado (ou tomar mamadeira) e vai achar que algo esta errado e vai provavelmente rejeitar a comida.

5. Bebês novos não são capazes de mastigar.
Dentes raramente aparecem antes de 6-7 meses, outra evidência forte de que os bebes muito novinhos são designados para sugar e não mastigar. Nos estagios pre-dentes, entre 4-6 meses, bebes tendem a babar, e a saliva que ele baba é rica em enzimas, que ajudarão a digerir as comidas solidas que virao em breve.

6. Bebês com mais de 6 meses gostam de imitar pais
Ou quem toma conta deles. Por volta dos 6 meses de idade, bebes gostam de imitar o que vêem. Eles vêem você comer um legume e curtir mastiga-lo. Eles querem pegar um garfo e fazer o mesmo.



Texto extraido do site www.askdrsears.com

8 de março de 2011

Dia Internacional das Mulheres

Parabéns às mulheres, pois são as únicas capazes de gerar uma nova vida no ventre, e desempenhar diversos papéis ao mesmo tempo: de filha, de mãe, professora, espôsa, amante, cozinheira, pedagoga, psicóloga, curandeira, trabalhadora, etc... Tudo em uma vida só!

Que tipo de adultos estamos criando?

Contato físico. Percebo que muitos pais evitam o contato físico com seus filhos ( e até entre eles mesmos, casais) com as justificativas de falta de tempo e independência. Afinal não se pode mimar as crianças até estragá-las.
Mas se você não tem tempo para as pessoas mais importantes da sua vida, (sim, porque "amigos" vêm e vão) então você não deveria pôr filhos no mundo. Porque a falta de um abraço, um carinho, pode resultar em um adulto frio capaz de qualquer coisa.
Pode parecer bobagem, mas quantas coisas podem ser resolvidas com uma palavra de incentivo, um sorriso?
E quanta falta essas coisas fazem! Você mesmo já não teve momentos em que desejou o colinho da mamãe, mesmo depois de grande?

6 de março de 2011

5 mitos sobre amamentação continuada (após 1 ano).

Fonte original de onde foi postado em português: Grupo Virtual de Amamentação no orkut http://www.orkut.com/Main#CommMsgs?cmm=52101&tid=5576801019931032389&kw=+mitos+continuada

Apesar do fato da OMS, do Ministério da Saúde, UNICEF, La Leche League, e praticamente todo profissional da saúde bem informado e atualizado recomendar amamentar até pelo menos 2 anos ou mais, muitas pessoas acham estranho quando uma mãe amamenta seu filho de 1 ano ou mais!
Num esforço para diminuir essa estranheza geral, analisei alguns dos mitos mais comuns sobre amamentar um bebê maior de 1 ano.
Vou derrubar alguns mitos, explicando a realidade, na esperança de esclarecer as confusões e parar a divulgação de informações equivocadas.

Mito #1. "Não há benefícios de amamentar após 1 ano."
Como uma grande amiga me disse um dia, isso é como argumentar que espinafre perde seu valor nutricional quando você tem, digamos, 15 anos de idade.
Algo que é saudável e rico em nutrientes nunca deixa de ser bom para você!
No segundo ano (12-23 meses), 448 mL de leite materno providencia:
• 29% da necessidade diária de energia
• 43% de proteínas necessárias
• 36% de cálcio necessário
• 75% das vitaminas necessárias
• 76% de folato necessário
• 94% vitamina B12 necessária
• 60% de vitamina C necessária
Sabemos que a maior parte do desenvolvimento do cérebro acontece nos 3 primeiros anos de vida, e a gordura é um componente essencial para esse crescimento. A gordura do leite humano é o tipo de gordura ideal que o organismo do bebê utiliza para esse fim, então o leite materno é a comida perfeita para crescimento cerebral nos anos de formação.
Considere que existem formulas de leites artificiais para crianças maiores, então até as companhias fabricantes de leites artificiais sabem que crianças ainda precisam de composição extra de gordura no leite e outras vitaminas e minerais após o primeiro ano (e essas fórmulas são designadas para crianças de 1-3 anos).
Mito #2. É hora de desmamar quando seu filho souber pedir para mamar "
Esse argumento é tão bobinho. Os pais acham que os bebês que falam "baba" significam que eles estão pedindo a mamadeira, e eventualmente irão treinar a criança a dizer isso em pedido para a mamadeira sim, e não vêem nada errado com isso. Muitas crianças aprendem linguagem dos sinais para sinalizarem "leite" ou "mamar" ao redor dos 8 meses de idade- obviamente muito cedo para desmamar.
Então claro que isso é totalmente ilógico- se teu filho pedir para comer brócoli, você o diria que está proibido? Oras, eles aprendem a pedir porque são coisas comuns do seu dia a dia.
Castigá-los impedindo-os de obter o que eles aprenderam a pedir não faz lógica algum nesse universo.
Mito #3. "Amamentar após X meses/anos é só para o deleite das mães."
Ah sim, mães de bebês maiores de 1 ano simplesmente forçam eles no peito, abrem suas bocas a força e dizem: "MAMEM!! Por favor, chute minha cara! Tente ficar de pé e mamar ao mesmo tempo! Faça piruetas, puxe meu cabelo e tenta dançar ao mesmo tempo, e olhe tudo ao redor com o bico do peito na sua boca! É tão legal! "
Tá, estou sendo bem sarcástica, mas bebês de 1 ano ou mais, francamente, podem ser um horror para mamar. Elas não ficam quietas, se distraem facilmente, e saem do peito após um minuto mamando, após terem chorado pedindo para mamar. Gostam de fazer acrobacias durante as mamadas. Então, amamentar essas criançãs É algo que as mães fazem por elas, claro. Porque reduz o risco de câncer de mama e é também muito melhor que Pedialyte quando a criança fica doente. E também o vínculo e o carinho são imbatíveis, mas as mães que amamentam seus filhos maiores de 1 ano o fazem pela mesma razão que os amamentarem quando era mais novo- eles ainda estão biologicamente designados para mamarem e é o mais saudável a eles afinal de contas.
Mito #4. "Como elimina-se o uso de mamadeiras e fórmulas com 1 ano, então a amamentação também tem que parar."
Lá encima falei que formulas para crianças de 1 ano ou mais existem para serem usadas até os 3 anos? Então, é porque não é o leite artificial que você para de oferecer com 1 ano- e sim a mamadeira.
Mamadeiras funcionam de forma totalmente diferente na boca do bebê do que o peito da mãe. Enquanto que o seio materno ajuda a desenvolver músculos faciais (boca, lingua e mandíbula) da criança de modo benéfico, um bico artificial da mamadeira requer que a sucção seja feita de modo diferente que é na verdade prejudicial para o desenvolvimento do palato, dentes e boca em geral. A recomendação então é de parar de oferecer mamadeiras- não o líquido que tem dentro.
Mito #5. "Quando eles começarem a comer alimentos sólidos (comida ‘de verdade’) não há mais necessidade de tomar leite materno."
Você não toma um copo de água junto as refeições? Crianças maiores de 1 ano comem ‘comida de verdade’ também, e mamam da mesma forma que bebês que tomam LA comem e também tomam mamadeira. Ao longo do segundo ano, a taxa sólidos: LM vai começar a mudar, onde a criança irá comer mais e mamar menos. É para ser um processo, e não um evento abrupto.

Fonte: http://thestir.cafemom.com/toddler/116520/5_toddler_breastfeeding_myths_that
Por Christie Haskell em fevereiro de 2001

1 de março de 2011

1 ano e meio de Pepê :)


Um ano e meio, quase dois. Pensei que os primeiros meses nunca passariam!
Era uma choradeira, muita cólica.
Depois começaram a sair os dentinhos, e ainda estão saindo. São 10 até agora.
O Pietro é um menino esperto, muito sapeca, curioso. Não pára um segundinho. Mas quando estou no trabalho sinto TANTA falta dele...
Aquela frase "Ser mãe é padecer no paraíso" já diz tudo.
A gente se descabela, não dorme direito, não descansa... Mas faz tudo isso com muito amor, na esperança de "entregar" um homem honesto, trabalhador e educado para o mundo.
Eu olho nos olhos do meu filho e vejo além daquele azul. Vejo o espírito dele, precisando do nosso carinho pra ser moldado e tornar-se um adulto bom.
18 meses, 10,5kg 82cm e mamando no peito da mamãe! :)

9 de janeiro de 2011

"MÃEtamorfose"

Mistura de mãe com metamorfose. Por quê? Porque me irrita ver gente que não muda em nada!
Sabe aquelas pessoas que você encontra uma vez a cada... sei lá... 3 anos, e tá sempre na mesma??
Não digo físicamente (só), mas em todos os aspectos.
Não sei se é mal de fã do David Bowie (amo!), mas acho que a gente tem sempre que mudar, e que seja pra melhor!
Mais específicamente falando, tem mulher que se torna mãe e não muda em nada. Não consigo entender isso.
Minhas prioridades mudaram, tudo gira em torno do meu filho. É lógico que ainda tenho minhas vontades, meus objetivos e opiniões, mas como é que a pessoa gera outro ser humano e continua sendo um ser egoísta e fútil?!
Coisas como largar a criança super novinha com outra pessoa pra ir à balada, ou não querer amamentar pra não deixar os peitos caídos... Fala sério!
Não deixei de ser eu mesma. Pelo contrário, adicionei mais uma faceta à minha persoalidade. A de ser tudo que sempre fui e ainda melhor. Por ele.

6 de janeiro de 2011

O dia em que o Pietro não quis comer

Foi ontem, e fiquei desesperada! Tive vontade de enfiar comida na boca dele rs. Coitado.

Mas fico preocupada, com medo dele perder peso, ficar fraco. E no final das contas, acho que tem dente saindo, e ainda por cima ele deve estar em fase de salto de desenvolvimento.
Só sei que ele só queria peito, e mais nada.
Fiz legumes, suco, um monte de coisa pra ele comer e nada!
Só quando desencanei e comecei a comer uma banana, foi que ele pediu banana e comeu.
Parece que quanto mais a gente fica nervosa e vai insistindo numa coisa, aí que eles não fazem.
Coitado do meu marido, que fica tentando me acalmar hauhauha... Criança é fogo!
Postei meu desespero na comunidade de amamentação do Orkut e logo as mamães me confirmaram o que eu já desconfiava.
Nessa fase tem saltos de desenvolvimento, como dá pra ver na tabela (clique para ampliar):
SALTO DE DESENVOLVIMENTO é uma fase em que o bebê está desenvolvendo novas habilidades e muda de comportamento pra desenvolver essa nova habilidade.
E o Pietro anda aprendendo palavras novas, então acredito que seja isso mesmo.

Também existem os picos de crescimento, que têm a ver com o aumento de mamadas do bebê para suprir esse período em que precisa crescer mais:

Tanto os saltos quanto os picos podem acontecer ao mesmo tempo, pois se intercalam em alguns períodos. Já vi que o "segredo" é ter bastante paciência, já que eles crescem tão rápido a aprendem milhares de coisas!

2 de janeiro de 2011

Auto-entrevista


Você planejava ser mãe aos 24 anos?
Não. Estava numa fase de sair com os amigos, então conheci o Antonio e tive certeza de coisas que nem fazia idéia que tinha vontade.

Sua gravidez foi tranquila?
Bom, fui ter enjôos a partir do 2º mês, mas cheguei a vomitar poucas vezes. Só que tive algumas outras coisas como enxaquecas, azia, hemorróida (rsrs...). Nada sério, ainda bem! Mas incomodou, principalmente porque trabalhei até o último mês.

E o parto? Se arrepende de ter feito cesariana?
Não me arrependi, porém poderia ter me preparado para um parto normal.
Cheguei no dia marcado, ansiosa mas sem dor alguma. Me internei, o que doeu mais foi a anestesia. O corte foi bem pequeno, a cicatrização rápida. Coloquei a cinta uns 2 dias depois da cirurgia e a barriga desinchou gradativamente e rápido. O problema da cesareana é o depois...

Sobre a amamentação, foi difícil no começo? Ainda amamenta? Até quando pretende amamentar?
Eu estava no pós-operatório quando colocaram o Pietro do meu lado. Vi que ele estava desesperado chupando as mãozinhas, e assim que a anestesia começou a passar, a enfermeira me deixou amamentá-lo.
Ele pegou certinho e começou a sugar. Depois, tivemos problemas com a glicemia dele, porque ele só dormia. A enfermeira disse que se a glicemia dele não melhorasse a gente não teria alta. Peguei o Pietro no colo, coloquei-o no peito e fiquei assim o tempo todo.
Nos primeiros meses ele chorava muito. Mesmo assim me falavam pra dar mamadeira porque podia ser fome... Não dei, insisti no peito e foi maravilhoso, ele engordou bastante e nunca ficou doente.
Aliás, tem sido assim até hoje, apesar dele já comer de tudo. O leitinho materno é sagrado, e nos une ainda mais. Passo o dia fora trabalhando e quando chego o amamento.
Vou parar só quando ele não quiser mais.

Ressaca das Festas de Fim de Ano

Festas de Natal e Ano Novo são cansativas mesmo que você não faça nada.
Todo ano vamos à minha sogra e depois na casa da minha avó. Os quitutes são os mais variados, e ganhamos vários presentes.
Em 2009, como disse, o Pietro estava bem novinho e a gente ainda estava tentando se acostumar com a nova rotina de acordar várias vezes durante a madrugada para amamentar, e bem cedinho no dia seguinte. Então, na hora da ceia já estávamos podres de sono rsrs...
Esse ano foi melhor, o Pietro já está andando, e ficou aprontando todas até as 2h da manhã. Nem precisei fazê-lo dormir, porque tanto no Natal quanto no Reveillon ele veio dormindo no carro.
Graças à caminha compartilhada, a gente consegue dormir um pouco mais, porque ele rola pro meu lado, mama e depois rola de volta pra cama dele.
Só que noite passada não dormimos nada, o Pietro está resfriado e com o nariz entupido, então virou a noite toda, chorou. Esse resfriado deixou o peito dele cheio de catarro, então ele tosse e fica com o nariz escorrendo.
Começamos o ano de 2011 muito bem, com a família reunida e feliz, mas também com um resfriadinho chato.
É tão bom ver o Pietro crescendo... A melhor coisa dessas festas (além das comidas deliciosas na casa da vó), é ter a família reunida!

DESFRALDE: FISICAMENTE E EMOCIONALMENTE "PRONTOS"?

Segue uma lista de items que podem ser avaliados antes de tomar decisão pelo desfralde.
Um livro completo sobre o tema (que contém essa lista, estratégias e muito mais), foi lançado por Elizabeth Pantley:
http://books.mcgraw-hill.com/getbook.php?isbn=0071476903&template=

Segue a lista:
Sinais para avaliar se seu filho está pronto para começar desfralde:

1) avisa quando faz xixi ou cocô na fralda, pede para trocar
2) muda comportamento quando está fazendo cocô (para, se concentra, vai para um canto, debaixo da mesa, etc)
3) Os cocôs do seu filho são previsívies, sempre na mesma hora do dia?
4) Quando acorda de uma soneca, a fralda está geralmente seca ou quase seca?
5) Entende o significado de palavras como molhado, seco, limpo, sujo, xixi, coco, pinico, fralda, etc.
6) Entende e atende pequenos pedidos como: guarde o brinquedo na caixa.
7) Nota quando alguém está usando o banheiro, fica curioso, quer dar descarga
8) Consegue ficar períodos de poucas horas com a fralda seca
9) Tem entre 24 meses e 30 meses ou mais
10) Tem um bom vocabulário, se comunica bem
11) A criança tem certa independência, quer fazer tudo sozinho, por roupas, por suco no copo, etc..
12) quando seu filho quer fazer os items acima, você tem paciencia de ensiná-lo, ou prefere fazer por ele pois é mais rapido e facil?
13) E você, mãe, está cansada de trocar fraldas, ou no fundo não se importa ainda com isso?
14) Existem mudanças de rotina na família em breve, irmaozinho chegando, viagens, etc? Se sim não é o momento certo.
15) você considera o desfralde porque: alguém te disse que está na hora, porque seu filho está com quase 2 anos, seu instinto diz que seu filho está pronto para isso, a escolinha do seu filho requisita o desfralde, ou porque seu filho está interessado e já pediu para usar o penico ou ficar sem fraldas mais de uma vez?
Não adianta tentar desfraldar antes da maturidade, é contra produtivo e tem consequências. Uma das consequencias do desfralde precoce é disturbio intestinal. Veja bem, não estou dizendo que estão promovendo um desfralde precoce, mas acho que vale a pena revisar se a criança tem maturidade mesmo antes de promover algo assim que pode ter consequências tão sérias.

Fonte: Postado e traduzido por Andreia Mortensen http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=17443640&tid=2482831537671142213
Ocorreu um erro neste gadget