29 de março de 2011

A hora de ir para a creche

Apesar de o Pietro ficar com a minha mãe, e eu me sentir bem mais tranquila com esse fato, está chegando a hora de colocá-lo numa escolinha para conviver com outras crianças.
Acredito que será muito importante pro desenvolvimento dele, em todos os aspectos.
Porém como pais de primeira viagem ficamos naquela indecisão na hora de escolher o lugar certo para o nosso maior tesouro passar horas sem nossa presença.
Pesquisei algumas escolas particulares através de indicações, mas daí me lembrei da escola municipal em que fiz o prézinho, aos 6 anos. Só não sabia se lá teria creche também para a idade do Pietro.
Fomos lá, nós três, na EMEI que fica perto de casa e de que tenho várias recordações de infância...
O Pietro adorou ver tanta criança, sorriu pra todas.
A escola é limpinha, vimos as crianças almoçando um cardápio com legumes e frutas... Claro que tem várias crianças nas turmas mas também tem monitoras.
Enfim, fiz a inscrição do Pietro para a lista de espera e o número dele é 89... A lista tá no número 32. Enquanto isso ele vai ficando com a vovó :)
Tive uma boa impressão da escola, que apesar de ser pública municipal, me pareceu bem organizada. Me sinto mais segura em deixar meu filho lá do que em escolas particulares que só pensam no dinheiro. É lógico que não dá pra generalizar, mas a estrutura me pareceu bem melhor. Conforme as coisas forem acontecendo, eu vou contando aqui. Agora é só esperar.

15 de março de 2011

6 razões para esperar 6 meses para introduzir alimentos

Texto traduzido e retirado da comunidade Grupo Virtual de Amamentação, no Orkut.
Já eram os dias que mães sofriam pressões para entupir os bebês de cereal a 6 semanas de vida. Hoje em dia pais alimentam seus filhos quando é nutricionalmente e desenvolvimentalmente correto- como determinado pelos bebês.
Não se apresse para começar as papinhas. Aqui algumas razões para esperar:

1. O Intestino do bebê precisa estar desenvolvido
Os intestinos são a parte do corpo que filtra, peneirando as substancias potencialmente perigosas e permitindo os nutrientes saudaveis.
Nos primeiros meses esse sistema de filtração é imaturo.
Entre 4-6 meses o revestimento interno do intestino do bebe passa por um processo de desenvolvimento chamado fechamento, onde o revestimento se torna mais seletivo sobre o que pode ou não passar.
Para prevenir que comidas potencialmente alergênicas entrem na corrente sanguinea, os intestinos maturando secretam IgA , uma proteina imunoglobulina que age como uma proteção, recobrindo os intestinos e prevenindo a passagem de alérgenos perigosos.
Nos primeiros meses, a produção de IgA é baixa (embora haja muito IgA no leite humano), e é mais facil assim para que potenciais alérgenos entrem no organismo do bebê.
Uma vez que moleculas de comidas entram no sangue, o sistema immune pode produzir anticorpos contra aquela comida, produzindo uma alergia ao alimento. Por volta de 6-7 meses de idade, os intestinos do bebê estão maduros e capazes de filtrar os alergenos mais ofensivos.
Por isso que é tão importante esperar a introdução de alimentos sólidos particularmente se existe uma historia de alergia alimentar na familia do bebe, o que demonstra uma tendencia do bebe a desenvolver alergias tambem, e prestar muita atenção quando oferecer os alimentos aos quais outros membros da familia sao alérgicos.

2. Bebês jovens têm reflexo de propulsão da lingua
Nos primeiros 4 meses a lingua tem um reflexo de propulsão para proteger os bebes contra engasgo.
Quando qualquer substancia incomum é colocada na lingua, automaticamente empurra para fora e não para dentro. Entre 4-6 meses de idade esse reflexo diminue gradualmente, dando ao primeiro cereal ou fruta uma chance de entrar no estomago e nao ser rejeitado pelo reflexo da lingua.
Não somente essa parte inicial do trato digestivo (lingua, boca) não esta pronta para sólidos, como tambem a parte final (estômago e intestinos) tambem não estão “prontos”.

3. O mecanismo de engolir do bebê é imaturo.
Outra razão para não ter pressa na introdução de alimentos solidos é que a lingua e o mecanismo de engulir podem nao estar prontos para funcionarem juntos.
Dê uma colher de papinha a um bebê com menos de 4 meses, e ele vai mover essa comida ao acaso em sua boca, empurrando um pouco da papinha de volta a faringe onde é engolida, um pouco vai para espaços grandes entre as bochechas e gengivas, um pouco vai pra frente entre labios e fora para o queixo.
Ou seja, o bebê não tem um bom controle da mastigação e direção para engulir, o que vai ser desenvolvido entre 4-5 meses de idade.
Nessa fase o bebê desenvolve a habilidade de mover a comida do começo da boca para o fundo ao inves de deixar a comida flutuar em todo lugar e cuspir boa parte disso. Antes dos 4 meses de idade, o mecanismo de engulir do bebe é feito para trabalhar com sugar, mas não mastigar. 30/10/06 Andréia

4.Bebês precisam ser capazes de sentar.
Nos primeiros meses, os bebes associam comida com carinho. Se alimentar é uma interação intima, e bebes frequentemente associam o ritual de comer com pegar no sono nos braços ou no peito da mãe.
A mudança de um peito suave e morno para uma colher fria, dura, geralmente não é bem vinda com uma boca aberta.
Dar papinhas ao bebe é uma maneira mais mecanica e menos intima de “entregar” comida. Requere que o bebe sente num cadeirão de comer, uma habilidade que a maioria dos bebes desenvolvem por volta de 5-7 meses. Segurar um bebe na posição tradicional de mamar nao é a melhor maneira de introduzir papinhas, porque seu bebe vai achar que vai ser amamentado (ou tomar mamadeira) e vai achar que algo esta errado e vai provavelmente rejeitar a comida.

5. Bebês novos não são capazes de mastigar.
Dentes raramente aparecem antes de 6-7 meses, outra evidência forte de que os bebes muito novinhos são designados para sugar e não mastigar. Nos estagios pre-dentes, entre 4-6 meses, bebes tendem a babar, e a saliva que ele baba é rica em enzimas, que ajudarão a digerir as comidas solidas que virao em breve.

6. Bebês com mais de 6 meses gostam de imitar pais
Ou quem toma conta deles. Por volta dos 6 meses de idade, bebes gostam de imitar o que vêem. Eles vêem você comer um legume e curtir mastiga-lo. Eles querem pegar um garfo e fazer o mesmo.



Texto extraido do site www.askdrsears.com

8 de março de 2011

Dia Internacional das Mulheres

Parabéns às mulheres, pois são as únicas capazes de gerar uma nova vida no ventre, e desempenhar diversos papéis ao mesmo tempo: de filha, de mãe, professora, espôsa, amante, cozinheira, pedagoga, psicóloga, curandeira, trabalhadora, etc... Tudo em uma vida só!

Que tipo de adultos estamos criando?

Contato físico. Percebo que muitos pais evitam o contato físico com seus filhos ( e até entre eles mesmos, casais) com as justificativas de falta de tempo e independência. Afinal não se pode mimar as crianças até estragá-las.
Mas se você não tem tempo para as pessoas mais importantes da sua vida, (sim, porque "amigos" vêm e vão) então você não deveria pôr filhos no mundo. Porque a falta de um abraço, um carinho, pode resultar em um adulto frio capaz de qualquer coisa.
Pode parecer bobagem, mas quantas coisas podem ser resolvidas com uma palavra de incentivo, um sorriso?
E quanta falta essas coisas fazem! Você mesmo já não teve momentos em que desejou o colinho da mamãe, mesmo depois de grande?

6 de março de 2011

5 mitos sobre amamentação continuada (após 1 ano).

Fonte original de onde foi postado em português: Grupo Virtual de Amamentação no orkut http://www.orkut.com/Main#CommMsgs?cmm=52101&tid=5576801019931032389&kw=+mitos+continuada

Apesar do fato da OMS, do Ministério da Saúde, UNICEF, La Leche League, e praticamente todo profissional da saúde bem informado e atualizado recomendar amamentar até pelo menos 2 anos ou mais, muitas pessoas acham estranho quando uma mãe amamenta seu filho de 1 ano ou mais!
Num esforço para diminuir essa estranheza geral, analisei alguns dos mitos mais comuns sobre amamentar um bebê maior de 1 ano.
Vou derrubar alguns mitos, explicando a realidade, na esperança de esclarecer as confusões e parar a divulgação de informações equivocadas.

Mito #1. "Não há benefícios de amamentar após 1 ano."
Como uma grande amiga me disse um dia, isso é como argumentar que espinafre perde seu valor nutricional quando você tem, digamos, 15 anos de idade.
Algo que é saudável e rico em nutrientes nunca deixa de ser bom para você!
No segundo ano (12-23 meses), 448 mL de leite materno providencia:
• 29% da necessidade diária de energia
• 43% de proteínas necessárias
• 36% de cálcio necessário
• 75% das vitaminas necessárias
• 76% de folato necessário
• 94% vitamina B12 necessária
• 60% de vitamina C necessária
Sabemos que a maior parte do desenvolvimento do cérebro acontece nos 3 primeiros anos de vida, e a gordura é um componente essencial para esse crescimento. A gordura do leite humano é o tipo de gordura ideal que o organismo do bebê utiliza para esse fim, então o leite materno é a comida perfeita para crescimento cerebral nos anos de formação.
Considere que existem formulas de leites artificiais para crianças maiores, então até as companhias fabricantes de leites artificiais sabem que crianças ainda precisam de composição extra de gordura no leite e outras vitaminas e minerais após o primeiro ano (e essas fórmulas são designadas para crianças de 1-3 anos).
Mito #2. É hora de desmamar quando seu filho souber pedir para mamar "
Esse argumento é tão bobinho. Os pais acham que os bebês que falam "baba" significam que eles estão pedindo a mamadeira, e eventualmente irão treinar a criança a dizer isso em pedido para a mamadeira sim, e não vêem nada errado com isso. Muitas crianças aprendem linguagem dos sinais para sinalizarem "leite" ou "mamar" ao redor dos 8 meses de idade- obviamente muito cedo para desmamar.
Então claro que isso é totalmente ilógico- se teu filho pedir para comer brócoli, você o diria que está proibido? Oras, eles aprendem a pedir porque são coisas comuns do seu dia a dia.
Castigá-los impedindo-os de obter o que eles aprenderam a pedir não faz lógica algum nesse universo.
Mito #3. "Amamentar após X meses/anos é só para o deleite das mães."
Ah sim, mães de bebês maiores de 1 ano simplesmente forçam eles no peito, abrem suas bocas a força e dizem: "MAMEM!! Por favor, chute minha cara! Tente ficar de pé e mamar ao mesmo tempo! Faça piruetas, puxe meu cabelo e tenta dançar ao mesmo tempo, e olhe tudo ao redor com o bico do peito na sua boca! É tão legal! "
Tá, estou sendo bem sarcástica, mas bebês de 1 ano ou mais, francamente, podem ser um horror para mamar. Elas não ficam quietas, se distraem facilmente, e saem do peito após um minuto mamando, após terem chorado pedindo para mamar. Gostam de fazer acrobacias durante as mamadas. Então, amamentar essas criançãs É algo que as mães fazem por elas, claro. Porque reduz o risco de câncer de mama e é também muito melhor que Pedialyte quando a criança fica doente. E também o vínculo e o carinho são imbatíveis, mas as mães que amamentam seus filhos maiores de 1 ano o fazem pela mesma razão que os amamentarem quando era mais novo- eles ainda estão biologicamente designados para mamarem e é o mais saudável a eles afinal de contas.
Mito #4. "Como elimina-se o uso de mamadeiras e fórmulas com 1 ano, então a amamentação também tem que parar."
Lá encima falei que formulas para crianças de 1 ano ou mais existem para serem usadas até os 3 anos? Então, é porque não é o leite artificial que você para de oferecer com 1 ano- e sim a mamadeira.
Mamadeiras funcionam de forma totalmente diferente na boca do bebê do que o peito da mãe. Enquanto que o seio materno ajuda a desenvolver músculos faciais (boca, lingua e mandíbula) da criança de modo benéfico, um bico artificial da mamadeira requer que a sucção seja feita de modo diferente que é na verdade prejudicial para o desenvolvimento do palato, dentes e boca em geral. A recomendação então é de parar de oferecer mamadeiras- não o líquido que tem dentro.
Mito #5. "Quando eles começarem a comer alimentos sólidos (comida ‘de verdade’) não há mais necessidade de tomar leite materno."
Você não toma um copo de água junto as refeições? Crianças maiores de 1 ano comem ‘comida de verdade’ também, e mamam da mesma forma que bebês que tomam LA comem e também tomam mamadeira. Ao longo do segundo ano, a taxa sólidos: LM vai começar a mudar, onde a criança irá comer mais e mamar menos. É para ser um processo, e não um evento abrupto.

Fonte: http://thestir.cafemom.com/toddler/116520/5_toddler_breastfeeding_myths_that
Por Christie Haskell em fevereiro de 2001

1 de março de 2011

1 ano e meio de Pepê :)


Um ano e meio, quase dois. Pensei que os primeiros meses nunca passariam!
Era uma choradeira, muita cólica.
Depois começaram a sair os dentinhos, e ainda estão saindo. São 10 até agora.
O Pietro é um menino esperto, muito sapeca, curioso. Não pára um segundinho. Mas quando estou no trabalho sinto TANTA falta dele...
Aquela frase "Ser mãe é padecer no paraíso" já diz tudo.
A gente se descabela, não dorme direito, não descansa... Mas faz tudo isso com muito amor, na esperança de "entregar" um homem honesto, trabalhador e educado para o mundo.
Eu olho nos olhos do meu filho e vejo além daquele azul. Vejo o espírito dele, precisando do nosso carinho pra ser moldado e tornar-se um adulto bom.
18 meses, 10,5kg 82cm e mamando no peito da mamãe! :)
Ocorreu um erro neste gadget