4 de junho de 2015

7 maneiras de se criar vínculo (Bonding) com seu bebê

Já ouviu falar em "Bonding", aplicado à maternidade?
O verbo "to bond" em inglês significa "juntar, unir" - lembra daquela cola especial chamada Super Bonder? Pois é.
Bonding é um termo muito utilizado para designar a criação de vínculo entre mãe e bebê, assim que ele nasce. Por isso a importância de se amamentar ainda nas primeiras horas de vida, do contato pele a pele, a troca de olhares.
Nsse texto, o Dr Sears dá algumas dicas de como criar esse vínculo importantíssimo para ambos, e que vai refletir em toda a formação desse novo ser humano.

Como um modo de criação com apego e de resposta rápida faz com que você e seu bebê fiquem cada vez mais próximos
Por William Sears, M. D.

No início de nossa carreira como pais, um amigo disse para minha esposa, Martha, "Deve ser bom se casar com um pediatra uma vez que ele sabe tudo sobre bebês."
Martha astutamente respondeu: "Na verdade, o que ele sabe é como cuidar de bebês doentes."
Ela estava certa: eu tinha sido bem treinado no tratamento de doenças físicas, mas tinha pouca experiência na promoção do bem-estar emocional.
Então, eu transformei meu escritório em uma espécie de laboratório experimental, observando aqueles pais que pareciam curtir mais seus bebês e, reconhecidamente, cujos filhos eu mais gostava.
Após 10 anos de observações, eu cheguei ao conceito de Attachment Parenting (Criação com Apego), baseada no toque, e de alta resposta,  que eu acredito que traz o melhor à você e seu bebê.
Pense nisso desta maneira: Se você e seu recém-nascido ficassem em uma ilha deserta - sem a orientação de livros sobre bebês, pediatras ou a sua sogra - e você tivesse apenas seus instintos maternos básicos para orientá-lo, eu acho que a Criação com Apego é o que você faria instintivamente.
O Attachment Parenting (Criação com Apego) é basicamente um conceito simples.
Faz-se através do desenvolvimento de um relacionamento amoroso, baseado em aprender a ler e responder às necessidades do seu bebê.
Eu chamo isso de enxergar através dos olhos de seu bebê - você pode criar uma criança confiante e solidária , e que tem uma base sólida para se tornar um adulto seguro e empático.
Para ajudar os pais a aprenderem a ouvir os seus instintos naturais e incorporá-los em suas vidas cotidianas, eu desenvolvi sete ferramentas de apego:

1. As primeiras semanas de vida do seu bebê ajudam a definir o cenário para o relacionamento de vocês. 
Eu recomendo que os pais passem o maior tempo com contato pele-a-pele e olho-no-olho possível - o que eu chamo de ligação no nascimento (birth bonding)- afinal de contas, afagar seu bebê novinho em folha é uma das recompensas mais ricas da maternidade/paternidade.
Se complicações médicas atrapalharem este tempo de apego, não se desespere. A ligação no nascimento não é como a tal "super cola"; é o início de um processo ao longo da vida.
Como o membro mais valioso da equipe médica do seu bebê, você ainda pode encontrar maneiras de se conectar com seu recém-nascido através do seu toque, sua voz e seu leite.

2. Amamente o mais rápido e maior tempo possível. 
Além de fornecer ao seu bebê o leite mais perfeito da natureza, é um exercício de leitura do bebê.
O contato íntimo promove a conexão através da leitura das expressões faciais do seu bebê, e também a sentir a sua linguagem corporal, enquanto que o próprio ato de amamentar ensina ao bebê que você é uma fonte de cuidado e conforto em que ele pode confiar.
Se uma complicação médica ou estilo de vida a impede de amamentar, você pode ter esse momento de muito toque e comunicação também enquanto dá a mamadeira. A mamadeira também dá ao pai a chance de se conectar com o bebê de forma carinhosa. Seja qual for o método, pense no momento de alimentação como uma oportunidade para se conectar e se comunicar, além do fornecimento de alimento.
 - Veja o vídeo sobre recém-nascidos que engatinham até o seio da mãe aqui.

3. Quando os novos pais entram em nosso escritório para o primeiro exame de seu recém-nascido, damos-lhes um curso intensivo sobre Slings, carregadores de bebê (baby-wearing). 
Eu gosto de demonstrar a técnica com os pais. É um deleite para as novas mães que me assistem montar o sling do bebê sobre o pai, posicionar o bebê confortavelmente dentro e então ver o pai passeando ao redor do escritório.
Além de desfrutar de uma conexão física com um dos pais, um bebê pode aprender muito nos braços de um cuidador ocupado: Podendo visualizar a mãe, o bebê também pode entrar em sintonia com seu ambiente e as pessoas ao seu redor. É também uma forma de envolver o pai na Criação com Apego. Na verdade, algumas mães inclusive relataram que uma vez que os seus companheiros aprendem o jeito de usar o sling para carregar o bebê, ficam "viciados".

4. A Academia Americana de Pediatria recomenda que os bebês durmam no mesmo quarto em que a mãe, em superfícies separadas, para praticarem o apego noturno. Quando deitar perto de bebê, procure usar uma co-cama (cama menor junto à cama de casal), um berço de cabeceira que se anexe de forma segura à sua cama, para manter o bebê dentro do alcance dos seus braços e em um ambiente seguro de sono.

5. O choro de um bebê é a sua maneira de se comunicar com você.
Ouça e acredite no valor da sua "linguagem". Os bebês choram para se comunicar, não manipular.
Aprendendo a decifrar os gritos do seu bebê e respondendo de forma apropriada - seja com uma alimentação, uma mudança de fralda ou um simples toque reconfortante, o bebê aprende a confiar em você para entender suas necessidades e cuidar dele.
Como esse vínculo cresce, e você se sente mais segura para antecipar suas necessidades antes que o bebê fique aborrecido, você pode até achar que ele chora menos.

6. Tenho certeza de que você já ouviu amigos e parentes bem-intencionados com suas instruções pessoais de "como fazer" as coisas": "Estabeleça horários", "Deixe que ele chore senão vai manipular você", ou "Você está estragando seu bebê, carregando-o tanto no colo".
Tome cuidado com esses "sistemas de treinamento de bebês!"
Certamente você deve modificar a Criação com Apego para ajudar seu bebê a se encaixar em sua família e seu estilo de vida. Afinal, ser focada na criança não é a mesma coisa que ser indulgente.
(Na verdade, eu tenho baseado a Criação com Apego na idéia de que ser sensível ao bebê em última análise, ajuda a desenvolver as ferramentas e a confiança para que ele se torne auto-confiante e independente.) Mas, quando levados ao extremo, esses sistemas de disciplina para bebês são sinônimo de perda.
Ao seguir à risca alguma dessas fórmulas preconcebidas para disciplinar seu bebê, você perde a confiança em sua própria capacidade de ler e responder aos sinais dele, enquanto ele perde a confiança  de que você acredita e valoriza esses sinais.

7. Quando nosso filho Matthew era um bebê (e um bebê high-need), minha esposa, às vezes se lamentava que ele precisava tanto dela que ela nem sequer tinha tempo para tomar um banho.
Soa familiar?
Eu procurava lembrá-la de que o que um bebê precisa mais é de uma mãe feliz e descansada. Lembre-se: A dose certa do remédio certo é a cura, mas uma overdose às vezes pode prejudicar.
O mesmo se aplica à Criação com Apego. É por isso que eu acho que o equilíbrio e limites são tão importantes.
Na ânsia de dar muito para o seu bebê, você acaba negligenciando as suas próprias necessidades e as de seu casamento. Logo no início do processo da Criação com Apego, pergunto aos novos pais: "Isso está funcionando para vocês? Seu bebê está prosperando? Vocês estão prosperando? Se não, vamos modificar as coisas."

Na medida em que você usa e adapta essas ferramentas para melhorar a sua vida familiar, devem experimentar doação mútua. Embora a Criação com Apego inicialmente possa parecer algo complexo, na verdade é sobre pais e bebês lidando uns com os outros.
Quanto mais sensível você for com o seu bebê, mais sensível ele será com você.
Antes que você perceba, os princípios vão se tornar totalmente naturais para todos, e você estará no seu caminho para criar uma família feliz e unida.

Traduzido e adaptado do site Parenting.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget