10 de outubro de 2014

O fim da Cama-Compartilhada.

Acredito muito que cada criança tenha seu próprio tempo para aprender, desenvolver e assimilar coisas que são totalmente novas para elas. Afinal de contas, até mesmo nós que somos adultos temos dificuldades em aceitar certas novidades não é mesmo? Imagine para quem saiu do ventre da mãe há tão pouco tempo!

E cabe a nós entendermos isso e aceitar o tempo de cada um, pra que essas "novidades" não sejam estabelecidas na base da pressão psicológica, acarretando traumas, ansiedade, baixa-estima e outros tipos de problemas a longo prazo.
Foi assim com a amamentação, com o caminhar, com o desfralde, a fala, e lógicamente com a cama-compartilhada.
Já contei aqui sobre o início de nossa experiência com a CC e como foi útil e importante nossa opção, até mesmo para que o sucesso com a amamentação acontecesse. Portanto faço questão de defender essa prática que além de segura, é também muito positiva pra mães e filhos.
Cheguei até a escrever um relato sobre os 5 anos de CC após o aniversário do Pietro, e estava tudo "dentro dos conformes" quando resolvi pedir pro meu marido desmontar o berço que o Pietro usou esporádicamente quando era bebê, e decidi vendê-lo.
Como o berço foi desmontado, recuperamos um bom espaço no quarto, e então tive a idéia de colocar a cama do Pietro lá.
Ficamos inseguros quanto a reação dele, então assim que ele chegou da escola, foi pro quarto pegar um brinquedo e viu a cama encostada na parede, separada da nossa. E me perguntou:
-"Mamãe, por quê minha cama está daquele jeito?"
Pensei rápido e respondi:
-"Você viu que legal, filho? Seu pai desmontou o berço e então pudemos colocar sua caminha ali, perto da janela. Ali você vai poder olhar o quintal, vai ter o sol batendo em cima. Legal né?"
"É verdade, que legal!"
E assim tem sido. Ele já caiu duas vezes (coitado rs) da cama durante a madrugada porque se mexe muito, então colocamos uma grade de proteção, mas até agora ele está curtindo a idéia e nunca mais pediu pra dormir com a gente.
Eu acho que quando a gente respeita o tempo de cada criança, sem criar muitas expectativas em cima, muita pressão, as mudanças são sempre efetivas.
Da mesma forma aconteceu com o desfralde.
Gradualmente, e da noite pro dia ele parou de usar fraldas, e nunca mais fez xixi na cama.
Acho que chegou a fazer umas três vezes no máximo, só.

 

Mais uma etapa cumprida. E que venham muitas outras! ;)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget