13 de outubro de 2014

Nódulo na Tireóide, SOP e "engolir sapos"

Já contei aqui que estou com um baita nódulo na tireóide e mais dois cistos, e que fiz alguns exames mas que acabaram não sendo conclusivos pra saber o que são esses nódulos, de onde vieram e pra onde vão... Agora terei que fazer uma punção, ou seja, retirar líquido do nódulo para saber se é algo ruim ou se vou ter que "conviver com eles".
Tenho procurado evitar pensar nisso o tempo todo, sabe. Pelo menos no ultrassom não apareceu calcificação em nada, o que seria indício de câncer, segundo uma amiga que teve. Mas confesso que estou triste.
Triste porque estava tudo normal até esse caroço aparecer.
Triste porque pode não ser cancerígeno agora, mas e se virar?
Imagem: Gato da Ansiedade (Facebook)
Triste porque tudo que eu quero na vida é poder criar meu filho.

Daí acontece um treco desse, e a gente já começa a pensar em mil bobeiras.
Eu sou assim, oras. As pessoas falam em pensamentos positivos, não me preocupar porque não vai ser nada e tal. 
Mas sou ansiosa e sofro por antecipação mesmo... 

Sobre a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), também já contei sobre a minha "saga" durante o tratamento que tenho feito todos esses anos, tomando anticoncepcional desde os 16 anos.
Só que desde o início desse ano parei de tomar o Diane 35, e os policísticos voltaram.
A última crise de enxaqueca com aura que tive foi tão forte, que achei melhor parar com o que pra mim é a causa principal dessas enxaquecas.
Minha pele voltou a ficar oleosa, meu ciclo desregulado, meus cabelos caem bastante... Mas ao menos não tive mais nenhuma crise de enxaqueca!
Fui recentemente à consulta com uma nova ginecologista, indicada por algumas mães de um grupo pela humanização do parto em Campinas, e ela me pareceu bem confiável pois explicou em detalhes algumas coisas que eu não tinha entendido muito bem. Como por exemplo o uso de Metformina para que eu engravidasse, quando tive o Pietro. Então, vou começar a usar a Metformina novamente, só que acompanhada de uma "mini-pílula" para evitar a gravidez e ao mesmo tempo tratar da SOP.

"Hans Halbe – Como já disse, não existe tratamento para curar a síndrome. É sempre um tratamento sintomático. Assim, independentemente da idade, quando uma mulher tem hiperinsulinismo, uma das tentativas é dar metformina, uma substância que aumenta a sensibilidade à insulina. De 40% a 50% das pacientes respondem bem a esse esquema terapêutico, as menstruações se regularizam, os níveis de testosterona baixam e elas engravidam.

Drauzio  Quer dizer que um remédio para diabetes faz com que elas engravidem?
Hans Halbe – Elas passam a menstruar regularmente e o hirsutismo melhora bastante. É uma pena que nem todas respondam tão bem a esse tratamento. Há uma coisa, porém, em que eu ponho muita fé. Acredito que a simples diminuição de resistência à insulina seja capaz de diminuir o risco de problemas cardiovasculares que essas pacientes possam ter mais tarde. No entanto, a droga ideal ainda precisa ser descoberta, porque a metformina tem efeitos colaterais, assim como os têm os outros medicamentos utilizados.

OUTROS RECURSOS TERAPÊUTICOS
Drauzio – Como devem ser tratadas as mulheres magras resistentes à insulina e com ovário policístico?
Hans Halbe – Essas pacientes pertencem a um grupo mais resistente do que as obesas, uma vez que contam com a chance de reverter o quadro se emagrecerem. Como as magras têm resistência à insulina consolidada, elas podem beneficiar-se com a metformina e, se necessário for, pode-se induzir a ovulação com clomifeno ou fazer a cauterização videolaparoscópica."
Leia a entrevista completa do site do Dr Dráuzio Varella aqui.

E então, com tudo isso acontecendo comigo além da correria com o trabalho e coisas de casa, ando mais sensível que o "normal"... Percebo que só meus pais, minha madrinha e minha sogra têm se preocupado comigo. São os únicos que me perguntam se estou bem, fora meu marido e meu filho, claro.
Algumas atitudes de pessoas próximas têm me chateado bastante, mas PRECISO me desligar disso.
Pro meu próprio bem, pra minha própria sanidade.
É difícil, mas a maioria das pessoas está enfrentando batalhas pessoais, e não poderia ser diferente comigo. É que tem horas que cansa ser "forte" e a gente precisa desabafar...
Às vezes sinto que se eu não der um primeiro passo pra aproximação, ninguém mais ao menos tenta.
E tenho que ser compreensiva, tenho que respeitar, que compreender. E nunca posso me alterar e chutar o balde, quando é exatamente disso que estou com vontade.
E enquanto isso, vou "engolindo meus sapos" e cultivando meus cistos pelo corpo...

Gostaria de começar meus 30 anos mudando alguma coisas na minha vida pessoal, na minha personalidade. E a primeira delas seria deixar de ser boba.
Sinto que preciso ajudar as pessoas ao meu redor, principalmente quando vejo que estão em alguma situação difícil, mas a verdade é que nem todos querem ajuda. E a mais prejudicada sou eu, que saio taxada de chata, de radical, e por aí vai.
Cansei. Preciso cuidar de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget