18 de março de 2015

Férias, discussões, Reiki e desabafo.

Tenho compartilhado informações e interagido mais na página do Facebook, já que estou de férias.
O problema é que estávamos em estado de alerta aqui no Estado de SP quanto à seca, e agora que saí de férias não pára de chover. Parece piada!
Tinha planejado levar o Pietro pra conhecer a praia, coisa que ele ainda não fez... Mas chove todos os dias!!
Não consegui nem ir passear no centro da cidade ainda, passar pelas sêbos, devorar os livros...
Mas enfim, ao menos tenho dormido até mais tarde, ficado descabelada pela casa assistindo documentários, palestras, lendo enquanto o Pietro está na escola, e limpando a casa como nunca rs.
Ah, tenho ido à consultas também, inclusive fomos ao dentista e levamos o Pietro pra primeira consulta e limpeza. O coitado vai ter que usar futuramente um aparelho para corrigir a tal "mordida profunda" que no caso dele é hereditário (já que não usou chupeta nem mamadeira) e eu também tenho. Mais informações aqui.
Também fiz um curso e me iniciei em Reiki, foi uma experiência transformadora e muito interessante.

Como iniciada no grau I posso me auto-aplicar a energia do Reiki e também aplicar em plantas e animais. Como temos quatro gatos e duas cachorras em casa, acredito que será muito útil!
Além do mais, essa primeira sintonização trabalha principalmente a auto-cura e isso é excelente pra todo mundo.

No mesmo dia em que me inscrevi no curso de Reiki, tive uma discussão terrível com a minha mãe e o meu irmão. Tudo porque MAIS UMA VEZ ela me pediu dinheiro e jogou na minha cara que cuida do Pietro pra mim.
Eu não deixo minha mãe desamparada, não é isso. Mas contribuo com o que posso.
Meu irmão também contribui com o que ele pode, e como não paga aluguel e nem tem filhos, consegue contribuir mais do que eu. E o que me magoa não é pelo dinheiro, e sim o fato dela me jogar na cara que cuida do meu filho - o único neto.
Ainda não entendi o por que disso tudo ter "explodido" no mesmo período em que voltei de Las Vegas e fui fazer o curso de Reiki. Mas talvez estejam achando que fiquei rica, que estou esbanjando dinheiro, sendo que a viagem foi toda paga pela empresa e eu paguei o curso com meu adiantamento de férias.
Continuo morando em casa alugada, pagando as contas com meu marido e tendo que trabalhar fora como sempre fiz. Passo parte do dia sem ter tempo de qualidade com meu filho, ainda pequeno, para poder trabalhar.
Fico magoada demais com esse tipo de coisa, e já desisti de entender certas atitudes dos meus parentes.
Acreditava que meu irmão fosse meu amigo, mas talvez pela falta de experiência, e por tudo que minha mãe falou na cabeça dele, ele "comprou a briga" dela. Me jogou coisas na cara que nunca tinha jogado antes, como quando a pessoa fica guardando tudo até um dia te cobrar por coisas que aconteceram lá no passado.
O meu pai? Nunca foi muito presente, e agora que mora com a minha avó está mais ausente ainda, com a namorada dele.
Achei que um dia as diferenças entre minha mãe e eu seriam superadas pelas experiências da vida.
Achei que ela me apoiasse por amor a mim e ao neto.
Achei tanta coisa e acabei me iludindo. A verdade é que somos muito diferentes.
Eu sou mãe hoje, mas passei os 24 anos anteriores sendo filha, e um tipo de filha que não corresponde às expectativas que ela tinha.
Enfim... Procuro poupar o Pietro ao máximo dessas discussões, mas tem horas que fica impossível e ele acaba ouvindo uma coisa ou outra :(
Só não quero que ele pense que é a causa dessas discussões, porque não é, nunca foi e nunca será.
Quem me conhece sabe que nunca me dei bem com minha mãe, e não é questão de ser isso ou aquilo. Simplesmente mães/pais são seres humanos normais e às vezes muito diferentes dos filhos, e vice-versa.
A vida não é um comercial de margarina, gente.
Não é porque sou filha e ela é minha mãe, que vamos viver ao som de violinos.

Preciso descansar a mente (afinal de contas estou de férias!), o Reiki mexeu comigo e preciso me concentrar nas energias que vão curar todas essas feridas.
Isso não é falsidade nem demagogia, mas existem momentos em que mais palavras só vão fazer sangrar ainda mais essas feridas.
E o tempo é o melhor remédio, ainda que soe clichê.
Fiquei pensando se deveria expor isso aqui, mas como não tenho nada a esconder e esse blog me serve como um meio de desabafo mesmo, resolvi contar.
As pessoas encontram maneiras de fazer maldade em qualquer situação, independente do que você escreve ou deixa de escrever num blog. Desse tipo de gente eu sinto pena e desejo uma cura profunda, assim como desejo curar feridas da minha alma.
Afinal de contas, quem não as tem?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget