8 de setembro de 2015

Primeiro Ultrassom, Segundo bebê.

Hoje foi o dia de fazer o primeiro ultrassom do segundo bebê.
Filho ou filha, não importa. Que venha com muita saúde!
De acordo com a data da última menstruação eu estaria com 8 semanas exatamente hoje, mas de acordo com o ultrassom estou de 7 semanas e 1 dia.
Mesmo minúscul@, já deu para ouvir os batimentos cardíacos, a vesícula ali do lado (parece uma bolinha) e foi muito bom.
http://www.perinatal.com.br/fases_gravidez.aspx

Tenho tido bastante enjôo, inclusive no último Domingo vomitei bastante.
Mudamos de casa nesse final de semana, e apesar de tentar não pegar muito pesado, fiquei bastante cansada. Além disso precisamos arrumar a casa para a festinha de aniversário do Pietro, que mesmo atrasada vai acontecer.
Estou bastante sensível, um pouco irritada e sem paciência... Mas também, com tantos hormônios fazendo festa dentro de mim, não tem como ficar indiferente rs.
Escrevi um textinho na página do Blog, no Facebook que gostaria de compartilhar aqui com vocês.
É sobre uma reflexão que me veio hoje, depois de tantas emoções em ver meu bebê se formando dentro do meu útero. Vez ou outra me bate um receio de perdê-lo, mas acho que é totalmente normal sentir esse medo e muitos outros.

"Vou dizer uma coisa agora que acho super chato, mas enfim...
Uma moça de um dos grupos que participo teve um aborto espontâneo. Aconteceu, ela perdeu o bebê.
Daí vem comentários como: "ah, eu sempre oro pelo meu", ou então "me sinto abençoada pela minha gravidez" e tal.
Não me aguentei e questionei se quem comentou esse tipo de coisa, acha que foi por falta de oração que a moça perdeu o bebê.
Gente, parem.
Ser mãe não é uma bênção concedida a pessoas especiais, não. Gravidez é fisiológica, agora o que a pessoa vai fazer a partir dali que é o que realmente importa. Pode ser uma "bênção" ou uma "maldição", para algumas pessoas.
Deus, o Universo, a Grande Mãe (seja qual for o nome) pode até dar o empurrãozinho. Mas não acredito em menos ou mais orações (sem qualidade), não acredito num deus punitivo que brinca com os sentimentos das pessoas.
Não era pra ser. Simples assim.
E vamos cuidar do que a gente sai dizendo por aí, pra não magoar outras mulheres que passam por abortos ou que nunca vão gerar filhos mas que podem ser ótimas mães.
A gente pode e deve se sentir feliz, pensar positivo, se conectar com o Divino. Mas se sentir privilegiada ou mais especial... Não." 


Me desculpem se parecer muito radical ou o quê. Mas que atire a primeira pedra aquela que nunca teve medo de perder um filho... Penso nisso toda noite, e acho que é até instintivo.
Agradeço ao Universo pela oportunidade de ser mãe, mas também não posso deixar de expressar minha solidariedade àquelas que passam por tristezas na vida.
Eu estou muito feliz hoje, e gostaria de dividir isso com TODAS, sem exceção :-)

2 comentários:

  1. Concordo com vc no mundo esta faltando gente assim que pensem no proximo. Beijao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente precisa se colocar no lugar da outra pessoa né, é muito triste.
      Beijão querida!

      Excluir

Ocorreu um erro neste gadget