29 de junho de 2014

O Blog, sentimento de frustração e um desabafo.

Quando fiquei grávida, decidi fazer um blog para ir compartilhando minhas experiências de cada fase, e também para dividir com outras mães todas as informações que fui encontrando e que foram (e têm sido) muito importantes. Blogs e grupos no Orkut e no Facebook - quando bem utilizados - podem ser de grande utilidade pública e auxiliar bastante na divulgação de informações atualizadas com embasamento científico moderno, e me ajudaram desde a gravidez até os dias de hoje.
Pois bem.
Só que recentemente tenho presenciado uma grande desunião entre as mulheres que participam desses grupos, e que simplesmente não percebem que através de disputas sem sentido (como a de quem é menos ou mais mãe por n motivos) e julgamentos descabidos, vamos nos enfraquecendo.
Numa sociedade ainda extremamente patriarcal, onde a figura masculina exerce poder sobre decisões, leis, regras e costumes, quem é que mais se "beneficia" com esse enfraquecimento das mulheres?
De uns anos pra cá tenho visto blogs e grupos de discussão sobre maternidade deixando de serem canais informativos e de troca de experiências, para virarem palco de brigas e discórdia. E pra quê, mesmo?!
Isso tem me desanimado bastante, viu. Vejo que tanto a postura das que ficam na defensiva considerando tudo como ofensa ou julgamento; quanto as que se colocam como superiores, só servem para atrapalhar na divulgação de informações importantes, causar desunião, e frustração das que estão interessadas em promover exatamente o contrário disso tudo.
Por isso às vezes penso seriamente se devo desativar o blog e a página no Facebook. Se não consigo alcançar meu objetivo, que é simplesmente o que coloquei ali no começo do texto, qual a razão de continuar então?
Se for pra ser "cada uma no seu quadrado", então não faz sentido ter um blog para compartilhamento de idéias...
Enquanto isso vou deixando rolar, já que pode ser uma fase, sei lá. Espero que seja mesmo.
Não estamos em uma competição.
Não somos perfeitas e essa "perfeição" nem existe.
Precisamos de união, respeito e informação. Mais diálogo, também, por favor.
Esse é o tal "empoderamento" de que se ouve falar. As mulheres precisam se empoderar JUNTAS.

Um comentário:

  1. Este é um reflexo do mundo competitivo, e não restrito a maternagem. Patriarcado agradece. As crianças perdem.
    Façamos nós o que é melhor, não focando só no resultado final, mas no processo, nas pessoas que vão se beneficiar.
    Infelizmente tem sim mães que por fazerem X ou Y, se sentem MAIS que as outras e tentam humilhar e não são por serem MAIS ou melhores para seus filhos, e sim por essa competição imbecil. E no fim todos perdem com isso.
    Tenho me afastado cada vez mais dessa militância virtual de competição de egos e buscando mais ações práticas.
    Não desanime!

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget