2 de fevereiro de 2015

Abrindo a "mente materna"

Gosto de pensar sobre o comportamento das pessoas, mas não chega a ser um interesse por psicologia não. É curiosidade, mesmo.
No campo da maternagem é interessante ver como cada mãe e pai se comporta perante cada fase. Sim, porque bebês e crianças crescem tão rápidamente, que de repente aquilo que estava acontecendo já mudou para outra coisa e você nem percebeu...
Por exemplo: quando o Pietro era recém-nascido, ele chorava muito. Não tinha muitas horas de sono seguidas. Eram poucos minutos até ele chorar de novo.
E me lembro de ficar louca, chorando junto com ele porque não sabia o que estava acontecendo.
Não era fome, porque já tinha mamado.
Não era fralda suja, não era algum problema de saúde.
O quê raios fazia meu filho, tão pequeno e indefeso, chorar daquele jeito?
Meu marido chegava do trabalho e lá estava eu: toda descabelada, cansada, segurando o Pietro no colo. Porque se colocasse no carrinho, berço, cama ou sofá ele abria o berreiro!
Daí ele (meu marido), me vendo no desespero, aprendeu a cozinhar pra me ajudar com as coisas da casa.
E eu, em meio a tantos palpites de parentes e colegas, fui ler.
Entrei em grupos de mães com embasamento científico. Fui estudar o que estava acontecendo.
Então encontrei textos sobre Extero-gestação, sobre o choro dos bebês em diferentes culturas e sobre bebês high-need.
Pronto, eu não estava só. Haviam (e ainda existem) milhares de mães como eu, com bebês que não páram de chorar e ficam no colo bastante tempo.
Daí depois que passei a entender melhor, parei de me desesperar com isso.
E passou.
Passou tão rápido, que hoje tenho que me esforçar um pouco para lembrar de como era essa fase.
E de tempos em tempos surge algo novo.
É por isso que gosto de ficar atenta às informações, gosto muito de ler e trocar experiências com outras mães. Só que nem todo mundo é assim, né.
Cada pessoa tem um jeito, e isso reflete na maternagem de cada uma.
O que não quer dizer que uma esteja errada e a outra certa, que uma seja melhor e a outra pior, e assim por diante. Nada disso!
Apenas que cada pessoa carrega uma história e se comporta de acordo com aquilo que lhe parece melhor. Mas, sabe de uma coisa? Uma boa dose de curiosidade faz bem para abrir a mente materna!
Ajuda a construir o tipo de mãe que você quer ser ;-)
Links interessantes:
Teoria da extero-gestação, para bebês novinhos (Soluções para Noites sem choro) 

O Choro do Bebê em Diversas Culturas

Os Gases e a Cólica do bebê – por Dr. Carlos González

O que são bebês de alta necessidade (high need)?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget