14 de setembro de 2014

Crianças com consciência ecológica

As pessoas acham interessante quando conto que o Pietro se tornou Vegetariano por escolha própria.
Logicamente ele teve influência nossa, já que quando tinha por volta de 2 anos, eu e meu marido deixamos de comer carne.
Foi uma escolha pessoal nossa, pois sempre gostamos muito de animais e já sentíamos que seria o momento para deixarmos de nos sentir um tanto quanto hipócritas com a gente mesmo.
A partir de então, fomos deixando de cozinhar qualquer tipo de carne, e ao mesmo tempo mostrando e incentivando o Pietro a experimentar novos sabores de legumes, verduras, frutas e grãos.
Já contei aqui sobre como foi essa transição para ele, que depois de um tempo resolveu tirar a carne da alimentação, pois não gostava de "bichinhos mortos".
Mas o que tenho visto é uma geração de crianças muito mais conscientes em relação à natureza, ele não é o único.
Talvez por influência dos pais, não sei. Só sei que essa consciência vai além da alimentação.
O respeito e o carinho que eles têm demonstrado é algo muito bacana e diferente, já que venho de uma geração totalmente junk-food e que não se preocupava em saber de onde os alimentos vinham, muito menos com preservação da natureza e afins.
Talvez estejamos um tanto quanto desesperados com o mínimo de recursos naturais que nos resta, e já não tem mais como fingir que está tudo bem.
Precisamos cuidar do que ainda nos resta, para que essa e as próximas gerações vivam com qualidade, não apenas sobrevivam.
Fico muito feliz em vê-lo crescendo saudável. É claro que vez ou outra aparecem as viroses escolares, gripes... Mas isso até faz parte da maturação do sistema imunológico de uma criança que frequenta escola.
Mas é muito bacana ver que ele realmente gosta de coisas que eu detestava até pouco tempo, como algumas frutas, por exemplo.
Alias, exemplo é a palavra chave, viu. Se os pais dão o exemplo, a lição fica bem clara e fácil de "seguir".
Agora, se um dia eles resolverem seguir caminhos diferentes, estarão exercitando o livre-arbítrio também. Ao menos precisamos investir nessa "base" que vai ajudá-los a criar seu próprio caráter e personalidade...

Mas e quando não há influência dos pais?
http://vista-se.com.br/conheca-bernardo-um-vegetariano-de-9-anos-motivado-pelo-respeito-aos-animais/

Quando isso acontece, só nos resta aprender com eles :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget