19 de fevereiro de 2012

Pietro na creche (adaptação difícil!)


Depois de esperarmos práticamente um ano pela vaga na creche municipal, finalmente conseguimos.
Conversamos bastante com o Pietro durante esse tempo, e ele também estava bastante empolgado, pois conheceria outras crianças, brincaria no parquinho...
Decidimos colocá-lo na creche por dois motivos: o primeiro, é porque ele precisa conviver com outras crianças. Já que na nossa família não tem outras crianças da idade dele e ele é muito ativo, acreditamos que a escolinha seria o melhor meio de socialização.
O segundo motivo, seria pra dar um pouco mais de "sossego" pra minha mãe. Ela tem me ajudado muito desde que o Pepê tinha quatro meses e tive que voltar ao trabalho.
Desde então, ele tem ficado com a vovó, e é até engraçado reparar no vocabulário que ele usa.
O Pietro não responde "é". Responde "sim".
Não fala "suvaquinho" e nem "bunda", fala "axila" e "bumbum". Coisas da convivência com adultos, imagino eu rsrs.
Enfim, chegou o grande dia. Assim que ele entrou na sala e viu as outras crianças chorando, abriu o berreiro. Foi assim a semana toda!
No final da primeira semana e início da outra, ele já começou a protestar contra a escola, pois não queria ir de jeito nenhum!
Na segunda-feira (2ªsemana), ele teve febre. Mesmo assim o levei pra creche, pois parecia uma febre leve.
Quando minha mãe foi buscá-lo, ele estava queimando de febre!
Na manhã de terça o levamos no pronto-socorro e o médico disse que não tinha nada inflamado.
Disse que poderia ser o organismo reagindo pra criar anticorpos, já que ele está convivendo com outras crianças agora...
Ficamos tristes porque parecia que nós estávamos obrigando o Pietro a fazer uma coisa que ele realmente não queria. Até pensamos em tirá-lo da creche, ou colocá-lo numa escolinha particular, mas resolvi conversar com a professora, primeiro.
A professora dele está na mesma escola há 17 anos, e eu precisava entender o que estava acontecendo.
Conversamos bastante, e ela me disse que precisamos continuar tentando, pois ele vai chorar em qualquer lugar. Os laços ainda são muito fortes, do filhinho que mamou na mamãe até dois meses atrás. Mas decidimos tentar, pro bem dele.
A professora está nos ajudando, conversando com ele e tentando incentivá-lo a gostar da escola. Na última sexta, ele não estava chorando quando fomos buscá-lo. Estavam assistindo A Galinha Pintadinha.
Tomara que as coisas se acertem, pois quero ver meu filho feliz, acima de tudo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget