25 de agosto de 2013

Quer ser mãe? Informe-se!

Se me pedissem pra dar um conselho para as mulheres que vão ser mães, eu diria: informem-se.
Também poderia dizer que seu sono nunca mais será o mesmo - pura verdade - mas isso também tem a ver com informação.
Fazemos coisas, criamos expectativas e tomamos decisões muitas vezes baseadas em mitos, conselhos alheios e naquela velha justificativa de que " fulana fazia assim e os filhos dela sobreviveram"...
Eu mesma não tenho a mesma cabeça de quando engravidei. Não tinha ideia sobre muitas coisas importantes, tinha muito medo. Talvez porque não achava que seria mãe algum dia (nunca sonhei com isso). Achei que seria a "louca dos gatos"! Mas se pudesse voltar no tempo, teria me informado mais, com certeza.
Teria me informado mais sobre parto, sobre amamentação...
E então fui aprendendo algumas coisas "na marra", nas dificuldades que foram aparecendo - e ainda aparecem. Mas descobri que a tecnologia pode ajudar e muito quando se trata de informação.
É claro que nem toda informação é boa e verdadeira. E é aí que entra o tal instinto materno. Ele é aquela vozinha lá no fundo que diz: "Será mesmo que preciso fazer isso? Não acho que vai ser bom pro meu filho...".
Daí você descobre que existem vários estudos comprovando que o melhor para mães e bebês é simplesmente o mais natural possível. Legal não?
É importante entender que a maternidade não tem uma fórmula pronta e padrão, que serve para todas as mulheres.
Você precisa se armar de informação, muita paciência (respirar fundo tá valendo muito!) e acreditar em si mesma. Essa confiança vai se abalar várias vezes, você vai se sentir perdida... E essa vai ser a hora de respirar fundo e ouvir a tal "vozinha" lá no fundo, falando de novo dentro de você. Usar os sentidos para entender toda essa transformação. E a vida é feita de transformações, de ciclos e aprendizado, o que a torna mais interessante ainda.

2 comentários:

  1. Carol concordo com vc em gênero, número e grau! Eu também aprendi muita coisa na raça! E essa semana mesmo, tive que parar e pensar, o que EU acho que é melhor pro Renan? E fui contra médico, mãe, sogra e mais um monte de gente e fiz que eu achei que devia.
    E não me arrependo! Tem hora que temos que ouvir a mãe que tem dentro da gente, deixar nosso instinto maternal nos dizer o que fazer.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget